Building Tomorrow Together dá cem mil euros a quatro projectos tecnológicos na área da saúde mental

Ao todo, serão entregues cem mil euros aos responsáveis por estas estas ideias, que seguem para projectos-piloto em hospitais portugueses.
©Robina Weermeijer
©Robina Weermeijer

Já são conhecidos os vencedores do Building Tomorrow Together – Innovation in Dementia, uma iniciativa de várias unidades hospitalares nacionais e empresas para promover a inovação de tecnologias na área da saúde mental.

Ao todo, serão entregues cem mil euros aos responsáveis por estas estas ideias, que seguem para projectos-piloto nos hospitais parceiros do Building Tomorrow Together; o objectivo é pôr em prática «soluções digitais que melhorem a vida das pessoas com demência».

O Centro Hospitalar Universitário de São João e na Luz Saúde vai receber o iLoF – intelligent Lab on Fiber. Este recurso usa inteligência artificial para fazer uma «triagem mais rápida e portátil de risco de demência» – isto é feiro com uma análise de sangue que usa biomarcadores.

Outro dos vencedores é uma bracelete que se assume como uma «solução de monitorização remota de doentes através de dispositivos “wearables” para detectar movimentos de forma passiva». O Somatix vai entrar ao “serviço” no CNS – Campus Neurológico e na CUF.

Nos hospitais Lusíadas será usado o Virtuleap, um sistema baseado em óculos de realidade virtual e numa aplicação que sugere «exercícios e jogos para analisar a capacidade cognitiva e prever sintomas de demência».

Finalmente, a NeoNeuro (que será usada no Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga) é uma solução «não invasiva» para fazer o «diagnóstico precoce» de demência «através de uma análise ao sangue com um protocolo e um equipamento próprio».