Não há mais chips Arm para PC por causa do acordo de exclusividade da Microsoft com a Qualcomm

Como se pode ver pelos novos chips M1 da Apple, os processadores com tecnologia Arm já estão prontos para serem usados em computadores pessoais. No entanto, no que toca ao Windows o contrato de exclusividade de utilização de processadores Qualcomm está a impedir o lançamento de mais computadores com a versão do Windows para Arm.
HPEliteBookFolio13-2021__1_
O HP Elite Folio é um dos computadores Windows on Arm disponíveis em Portugal.

Recentemente, foi notícia em vários sites de tecnologias que a MediaTek estaria a planear construir e vender um chip para utilização em dispositivos que usem a versão do Windows para processadores Arm. Um sinal de que os processadores Arm estão prontos para utilização em PC, foi a mudança da Apple de Intel para os seus próprios chips M1, que usam núcleos de processamento Arm com muito bons resultados. No entanto, até agora, os PC Windows on Arm são dominados pelos chips Snapdragon, devido a um acordo de exclusividade entre a Microsoft e a Qualcomm.

Aparentemente, este acordo existe porque foi a Qualcomm que sugeriu à Microsoft criar uma nova versão do Windows para processadores Arm e, mais tarde ajudou-a a desenvolvê-la. Mas a situação poderá mudar em breve, porque o acordo está em vias de expirar, o que pode motivar outros fabricantes a entrarem neste mercado, como a Samsung ou a já referida MediaTek. Também vai possibilitar a existência de uma versão do Windows para Arm, que funcione nativamente nos novos computadores Macintosh com processadores M1.

A Qualcomm sempre teve uma relação especial com a Microsoft. Os chips que equipavam os dispositivos móveis Windows Phone eram Qualcomm e mesmo nos novos dispositivos Surface Duo, os recentes smartphones com dois ecrãs da Microsoft (não disponíveis em Portugal), os chips usados para os fazerem funcionar também são Qualcomm.

Os principais fabricantes de chips especializados em tecnologia Arm (Qualcomm e MediaTek), acreditam que o declínio da relação entre a Intel e a Microsoft (também conhecida como Wintel), é inevitável e que vamos atravessar um momento de transição para a tecnologia Arm. Para estes fabricantes, a transição para Arm é uma oportunidade de expandirem os seus negócios e todos querem estar na linha da frente, quando começar.

O Windows on Arm foi anunciado pela Microsoft e pela Qualcomm em 2016, mas esta não foi a primeira versão Arm do Windows, (já tinha existido o Windows RT que fazia funcionar os primeiros tablets Surface) mas esta foi a primeira a permitir executar aplicações X86 em computadores com tecnologia Arm. Desde essa altura, a Microsoft adicionou emulação para aplicações X86 de 64 bits, na versão Arm do Windows 11, mas ainda há muito trabalho por fazer para que a experiência de utilização com o Windows on Arm seja semelhante à do Windows para X86.