Depois dos estádios de futebol, é o Hospital da Luz a ser 5G em parceria da NOS

Primeiro o futebol, depois a saúde - são prioridades.
©NOS
©NOS

Quando os estádios se tornam os primeiros recintos 5G e os hospitais vêm em segundo lugar, isso quer dizer muito das prioridades de um País.

Quase dois meses depois de a NOS ter anunciado os estádios do Benfica e do FC Porto como os primeiros a ter 5G, agora é a vez de uma unidade de saúde, o Hospital da Luz, em Lisboa.

Segundo a operadora, esta nova forma de conectividade vai «potenciar avanços tecnológicos nos cuidados de saúde e na investigação médica» no Hospital da Luz, que passa a podes aplicar o 5G a recursos como «realidade virtual e aumentada, sensorização, monitorização e robótica».

A realidade virtual e aumentada serão as primeiras tecnologias a tirar partido desta conectividade que permite chegar a velocidades superiores a 1 Gbps. Depois, seguem-se aplicações como a «sensorização para monitorização em internamento domiciliário e o desenvolvimento do remote healthcare, para colaboração médica à distância».

Para cobrir o Hospital da Luz com 5G, a NOS instalou um sistema de antenas para dar rede a «áreas nucleares» desta unidade de saúde, além de «células dedicadas» para dar «mais capacidade e maior alcance da rede», conclui a operadora.