Associação D3 acusa o INESC TEC de arrogância e diz que app StayAway COVID é «inútil» no confinamento

Esta tomada de posição surge na sequência de o presidente do INESC-TEC ter culpado os médicos pelo «fracasso» da app.
©SNS.GOV
©SNS.GOV

A Associação D3 – Defesa dos Direitos Digitais está em guerra com o INESC TEC e culpa o instituto pelo facto de a app StayAway COVID não ter tido resultados para pôr limites à progressão da pandemia.

Esta tomada de posição surge na sequência de José Manuel Mendonça, presidente do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência, ter culpado os médicos pelo «fracasso» da app.

«Depois de já anteriormente ter culpado os portugueses por não aderirem ou a CNPD por fazer o seu papel, o INESC TEC continua a encontrar desculpas para o não funcionamento da app e a disparar culpas em todas as direcções, menos para si próprio», diz a D3 em comunicado.

Segundo a associação que defende os direitos digitais, as declarações de José Manuel Mendonça (que também lidera a equipa responsável pela app), mostram que o INESC TEC foi «arrogante e precipitado» por não ter incluído «factores sociais elementares nos seus cálculos e promessas sobre a eficácia da app».

Confinamento é uma «boa altura» para acabar com a app

De acordo com o Público, 1,8 milhões de portugueses já desinstalaram a app StayAway COVID, facto que levou José Manuel Mendonça a criticar os médicos: «As pessoas estão a perder a confiança na app porque não há códigos não há códigos porque os médicos estão mal informados sobre a forma como a app funciona e onde se encontram os códigos».

No mesmo comunicado onde critica a inoperância do INESC TEC, a Associação D3 diz ainda que StayAway COVID se torna «especialmente inútil» no período de confinamento e que este pode ser um período para a app dar o canto do cisne: «Abre-se uma janela de oportunidade para fazer um balanço e repensar a sua utilização. Uma boa altura para dar por encerrado este projecto, que já há muito deu o pouco que tinha a dar»