Alunos do Instituto Politécnico de Setúbal criam três apps para ajudar cuidadores informais de doentes com Alzheimer

Para este projecto, os alunos juntaram-se num curso-piloto a a dez cuidadores informais, três profissionais de saúde e quatro profissionais ligados à área das TIC.
©CDC
©CDC

Onze alunos finalistas de licenciatura das áreas das Ciências da Saúde e da Engenharia Informática desenvolveram três aplicações para smartphone que tem como objectivo ajudar os cuidadores informais de doentes com Alzheimer.

Para este projecto, os alunos juntaram-se num curso-piloto a a «dez cuidadores informais, três profissionais de saúde e quatro profissionais ligados à área das TIC», diz o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS).

Durante quinze semanas, esta equipa trabalhou em conjunto e conseguiu desenvolver três apps – Care-Coach, Rent-a-Care e MediControl – com recurso a «evidência científica». Rent-a-Care servirá para por em contacto os cuidadores informais com profissionais de saúde e a MediControl actua na área da «gestão de medicação» para os doentes com Alzheimer.

©IPS | CoCare Training Group
©IPS | A equipa responsável pelo Co-Care do IPS trabalhou durante quinze semanas para desenvolver três apps.

Estas aplicações foram criadas no âmbito da iniciativa europeia Co-Care (Co-Created ICT Solutions for Alzheimer’s Informal Caregiving), financiado pelo programa de ensino Erasmus+, e onde também participaram universidades e entidades de tecnologia e saúde de Espanha, Reino Unido e Bélgica.

O curso piloto que levou ao desenvolvimento das apps continua activo até 2022 para cumprir mais dois objectivos: criar um kit para os cuidadores que irá auxiliar na escolha de soluções tecnológicas adequadas a cada situação; e a implementação de «comunidade de prática online», que vai dar apoio à comunidade cuidadores, médicos e doentes.