InternetNotícias

Facebook quer proteger as eleições para o Parlamento Europeu

FacebookFacebook

O Facebook partilhou mais detalhes sobre que medidas está a tomar antes das eleições para o Parlamento Europeu, a realizar em Maio próximo.

No fim de Março, o Facebook vai lançar novas ferramentas para ajudar a evitar a interferência estrangeira nas eleições e tornar a propaganda política na rede social mais transparente.

Os anunciantes vão precisar de uma autorização antes de comprar anúncios políticos. Para publicar anúncios eleitorais ou anúncios sobre questões importantes relacionadas com as eleições para o Parlamento Europeu, os anunciantes devem confirmar a identidade e incluir informações adicionais sobre quem é responsável pelos anúncios.

Embora a grande maioria dos anúncios sejam geridos por organizações legítimas, o Facebook sabe que existem pessoas mal-intencionadas que tentam usar a plataforma de forma incorrecta.

Quando o utilizador clicar no aviso de responsabilidade “pago por”, será direccionado para a biblioteca de anúncios. A biblioteca partilhará informações sobre o desempenho do anúncio, como o intervalo de gastos e as impressões, além de dados demográficos. A biblioteca é totalmente pesquisável e está acessível a qualquer pessoa no mundo, independentemente de terem uma conta no Facebook.

Estas ferramentas abrangem não só os anúncios de uma campanha, mas também os anúncios sobre tópicos – aqueles que não mencionam um candidato ou partido político, mas discutem temas importantes.

O Facebook refere que a transparência ajuda a todos, incluindo os grupos de observação política e jornalistas, responsabilizando os criadores e disseminadores dos anúncios pelo que eles próprios são e afirmam para diferentes públicos.

O Facebook aposta numa abordagem de três etapas para melhorar a qualidade e a autenticidade das histórias no Feed de Notícias. Primeiro, remove o conteúdo que viola os padrões de autenticidade da comunidade, o que ajuda a proteger a segurança da plataforma.

Depois, para o conteúdo que não viola directamente os Padrões da Comunidade do Facebook, mas ainda assim prejudica a autenticidade da plataforma, reduz a sua distribuição, retirando-lhe importância no Feed de Notícias.

Por fim, o Facebook faculta informação às pessoas, dando-lhes mais contexto sobre as informações que vêem no Feed de Notícias.

Com base no trabalho dos últimos meses e para melhor coordenar o trabalho nas últimas semanas antes das eleições para o Parlamento Europeu, o Facebook planeia criar novos centros de operações, focados na integridade das eleições, incluindo um centro em Dublin.

Ao trabalhar em conjunto com as suas equipas na sua sede em Menlo Park e em toda a Europa, a nova iniciativa servirá como uma camada adicional de defesa contra notícias falsas e desinformação, discursos de ódio, supressão de eleitores e interferência eleitoral. Esse esforço incluirá especialistas do Facebook, Instagram e WhatsApp.

Também trabalhará em estreita colaboração com legisladores, comissões eleitorais, investigadores, académicos e grupos da sociedade civil para continuar a luta contra notícias falsas e desinformação.

Via Facebook.

PCGuia
Luis Vedor
Terra. Europa. Portugal. Lisboa. Elite: Dangerous. Blade Runner. Star Trek. Star Wars. Kraftwerk. Project Pitchfork. Joe Hisaishi. Studio Ghibli.
Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia e fique a par das últimas notícias, dicas e truques de hardware e software.
Subscrever
close-link