Descomplicómetro – System on a Chip (SoC)

Os SoC ou System on a Chip (em português, Sistema num Chip) são os componentes que fazem funcionar os nossos smartphones, tablets, televisores, consolas, sistemas Hi-Fi, auscultadores sem fios, máquinas de lavar e até mesmo frigoríficos.
Raspberry_Pi_4_Model_B_-_Top

Todos os usamos, mas nem damos por eles. Os SoC ou System on a Chip (em português, Sistema num Chip), são os componentes que fazem funcionar os nossos smartphones, tablets, televisores, consolas, sistemas Hi-Fi, auscultadores sem fios, máquinas de lavar e até mesmo frigoríficos.

Há quem confunda os SoC com os CPU, mas isto está errado: os System on a Chip são muito mais que processadores. Um SoC é um circuito integrado que inclui todos os componentes de um computador ou outro sistema electrónico numa única placa. Os SoC podem incluir funcionalidades digitais, analógicas e de comunicação através de radiofrequência no mesmo componente. Devido ao elevado grau de integração e baixo consumo energético, os SoC são muito populares em aplicações que necessitam, de um grande grau de miniaturização, como é o caso dos dispositivos móveis.

Os System on a Chip são feitos numa lógica modular. Por exemplo, um fabricante de smartphones pode usar um SoC com um processador de dois núcleos, ou dual-core, num modelo e outro com quatro núcleos noutro modelo. Porém, exceptuando a CPU, as funcionalidades do SoC são exactamente as mesmas. Existe outro tipo de SoC, denominado SiP (System in Package) que é usado em aplicações particularmente complexas em que não é possível integrar todos os componentes com facilidade ou quando o componente é pensado para aplicações muito específicas.

SOC

 

Tipicamente os SoC incluem:

Uma CPU, microcontrolador, ou processador digital de sinal ou uma combinação de todos ou alguns destes componentes. O CPU pode ter vários núcleos;

Memória RAM, ROM e EPROM (um tipo de memória ROM que pode ser programada e que guarda em certos casos partes do software básico do dispositivo ou firmware). Em alguns casos também pode existir memória Flash integrada no SoC;

Sistema de temporização para os processadores e memórias;

Interfaces de comunicação como USB, Firewire, Ethernet (rede com fios), comunicações sem fios Bluetooth, Wi-fi ou GSM ou comunicações em série;

Interfaces de conversão de sinal analógico/digital que permite, por exemplo, converter o sinal digital de uma chamada telefónica para sinal analógico ou seja: impulsos eléctricos que fazem funcionar os altifalantes e que permitem ao utilizador ouvir. Também fazem o inverso: convertem os impulsos eléctricos do microfone para sinal digital.

Circuitos de gestão de energia para alimentar os diversos componentes;

O primeiro SoC a ser usado num produto comercial foi o ecrã LCD da Microma usado para construir um relógio digital em 1974.