Investigadores portugueses do CeNTI tem quatro milhões de euros para criar novas tecnologias contra vírus e bactérias

O projecto ViBrANT – Viral and Bacterial Adhesin Network Training centra-se em estudos funcionais sobre adesinas.
©CeNTI
©CeNTI

O Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI) é uma das catorze entidades europeias que receberam um investimento de quatro milhões de euros ao abrigo do projecto ViBrANT.

Este investimento será aplicado ao desenvolvimento de «novas tecnologias e métodos de diagnóstico para ajudar a combater um dos maiores problemas de saúde pública».

Segundo os responsáveis do CeNTI as «infecções virais e bacterianas» são responsáveis por 25 mil mortes por ano em «ambiente hospitalar».

É para contrariar esta realidade que os investigadores estão à procura de novas tecnologias de testagem e diagnóstico, que ajudem a combater a «incidência e disseminação» dos elementos patogénicos.

O projecto ViBrANT – Viral and Bacterial Adhesin Network Training centra-se em estudos funcionais sobre adesinas, os «complexos proteicos à superfície das bactérias que determinam a sua capacidade de adesão aos organismos».

Se os resultados foram os esperados, será possível criar tratamentos mais «eficientes, assertivos e personalizados», concluem os investigadores do CeNTI.