Trojan de acesso remoto AgentTesla foi o malware mais perigoso de Setembro, em Portugal

Este trojan de acesso remoto atingiu 6% das organizações nacionais em Setembro.
©Arif Riyanto
©Arif Riyanto

O mais recente relatório de segurança da Check Point conclui que o trojan de acesso remoto AgentTesla foi o que atingiu mais organizações nacionais em Setembro: 6%.

Em Portugal, o segundo e terceiro lugar (ambos com 5%) da lista das ameaças mais identificadas em ataques foram ocupados pelo software de mining CPU em open-source XMRig e pelo trojan bancário Trickbot.

Apesar de ter ficado em terceiro lugar, o Trickbot foi mesmo o malware «mais prevalente de setembro a nível global», revela a Check Point, que lembra o ganho de popularidade deste malware «desde o derrube do Emotet, em Janeiro».

Ainda a nível mundial, há a registar uma nova entrada para o top 10 de ameaças: o trojan de acesso remoto njRAT ficou com o lugar do Phorpiex, que «deixou de estar activo», explica a Check Point.

No que respeita a malware para Android, o primeiro lugar continua a ser do xHelper, uma aplicação usada para «descarregar aplicações maliciosas e exibir anúncios fraudulentos». No segundo lugar está o Malware-as-a-Service AlienBot e, em terceiro, o FluBot, um botnet distribuído por SMS.