Futuros APU AMD Ryzen 6000 poderão usar arquitectura Zen3+ e processo de fabrico de 6nm

Futuros APU AMD Rembrandt utilizarão novo processo de fabrico, evolução da arquitectura Zen3, e uma controladora gráfica com 50% de maior poder de processamento.
AMD

Segundo o roadmap da AMD, o próximo grande lançamento da marca serão a nova geração de APU, ou seja, processadores com controlador gráfico integrado. Estes modelos deverão ser designados como AMD Ryzen 6000, mas segundo rumores mais recentes, parece que a AMD os irá lançar com algumas novidades importantes.

Recorrendo ao nome de código Rembrandt, o processador destes novos APU utilizará a nova arquitectura Zen3+, uma evolução da actual arquitectura Zen3 aplicada nos processadores Ryzen da série 5000, e terá a particularidade de ser produzido pela TSMC em 6nm, o suficiente para garantir uma melhoria de 20% em termos de densidade (número de transístores por espaço), e consequentemente maior eficiência energética.

Esta alteração no processo de fabrico e na arquitectura utilizada deverá permitir uma melhoria em termos de frequências de funcionamento, bem como adicionar compatibilidade para novas tecnologias, como as futuras memórias DDR5, que estão já prestes a chegar ao mercado, bem como as futuras ligações USB 4.0, de 40 Gbps.

Em termos de GPU, os futuros APU AMD Ryzen 6000 deverão usar uma controladora gráfica integrada de arquitectura RDNA2, baseada no GPU Navi 2, com 12 unidades computacionais e 768 processadores de stream, o que corresponde a um crescimento de 50% face aos 512 processadores de stream utilizados pelas actuais gráficas Vega, utilizadas nas APU Ryzen 5000.