Portugal é um lugar perfeito para criar empresas para a era digital

A empresa de software freiheit.com tem clientes como a Mercedez-Benz, a Volkswagen, a imobiliária Engel & Völkers e uma mulher no comando. Lisboa é o cenário para o seu primeiro escritório fora da Alemanha. Claudia Dietze explica a escolha.

O que a levou (e ao seu marido Stefan Richter) a arriscar há cerca de vinte anos a começar do zero uma empresa própria, a freiheit.com?

Vejo como uma aventura. Queríamos criar a empresa que sempre desejámos, que é mais uma comunidade com pessoas altamente qualificadas, inteligentes e ambiciosas, a trabalhar de uma forma pouco convencional sem vaidade ou política. Pessoas que querem ser pioneiras e que estão preparadas para conquistar o mundo connosco. A nossa equipa tem uma paixão pelo conhecimento e se empenha sempre em melhorar. Sentimos que havia uma lacuna no sector para uma empresa como esta e queríamos tornar este lugar perfeito uma realidade.

O que faz com que se destaquem entre os seus concorrentes mais directos?

Somos conhecidos pela nossa elevada fiabilidade, rapidez e competência. Combinamos valores tradicionais com um ambiente de startup de Silicon Valley: pensamento pouco convencional e pioneiro. Criámos uma cultura de empresa que é inovadora e que continua a fazer coisas que ninguém ainda fez. E o fazemos a um ritmo acelerado e com uma experiência de mais de vinte anos. Está no nosso ADN reinventarmo-nos vezes sem conta, antecipando as mudanças na indústria e adaptando a nossa empresa e o que fazemos com ela. Não somos uma agência nem uma consultara de TI. As agências têm processos de agência e as consultoras têm processos de consultoras. Estamos organizados e somos geridos como as bem-sucedidas empresa de software de Silicon Valley.

No final de 2018, a freiheit.com abriu o seu primeiro escritório fora da Alemanha. O que fez com que Lisboa fosse a escolha ideal?

Adoramos a cultura portuguesa. Encaixa muito bem com a nossa: honestidade, dedicação e fiabilidade. A educação técnica é muito boa. Nesta cidade há mais do que três universidades muito boas, todas abertas a colaborações para oferecer aos seu alunos oportunidades de prática. Além disso, Lisboa proporciona muito mais, com a sua beleza, a sua atmosfera inspiradora e pessoas fantásticas que fizeram com que nos sentíssemos bem-vindos desde o início. Sentimos que Portugal e em especial Lisboa têm sede de mudança. Nas últimas décadas, Portugal fez bons investimentos em infraestruturas e educação, desenvolvendo um lugar perfeito para criar empresas para a era digital. E, claro, trabalhar ao pé do Oceano Atlântico é fantástico. Adoramos o clima, que é muito melhor que o de Hamburgo.

Qual o balanço que faz deste primeiro ano de actividade em Portugal e quais os planos para o futuro próximo?

A resposta é simples e clara: Lisboa esperou pela freiheit.com e a freiheit.com esperou por Lisboa. A questão era se conseguiríamos convencer os melhores alunos das universidades técnicas a virem trabalhar para nós. E a resposta foi ‘sim’. Estamos a conseguir os melhores engenheiros com a melhor formação de Lisboa – são mais que bem-vindos para se juntarem à nossa equipa de pessoas excelentes e em sintonia.

Sendo uma mulher num sector maioritariamente masculino, que conselhos dá àquelas que querem seguir os seus passos?

Não pensem muito! Não há diferença. A diferença está apenas na cabeça das pessoas. Embarquem na aventura e aproveitem cada momento! Se forem autênticas, não pode correr mal. E, talvez a razão que faz da freiheit.com uma empresa tecnológica com uma cultura de família, uma comunicação aberta e um dos melhores escritórios do mundo, seja ter uma mulher na liderança. Eu adoro prestar atenção aos detalhes.