DicasGuia completo

Optimize a sua rede para jogar online

Não basta ter largura de banda para se conseguir jogar bem online. Aqui estão alguns truques para o ajudar a ganhar.

AsusROG Router

Quer jogue Fortnite, PUBG, Overwatch ou Call of Duty, o segredo para uma boa experiência de jogo online é ter uma baixa latência entre o seu teclado e os servidores do jogo. Naturalmente não consegue controlar o que se passa na infra-estrutura do seu seu ISP, mas do seu lado há muito que pode fazer para melhorar a sua situação e as condições de jogo.

Quase tudo o que tem ligado à sua máquina de jogos, desde o rato ao ecrã, influencia a velocidade com que o jogo identifica que já enfiou 10 tiros no seu oponente. Pode não parecer muito, mas alguns milissegundos de atraso nas comunicações entre os componentes acumulam-se e podem ser a diferença entre ser campeão e ficar de mãos a abanar.

Vejamos o que pode fazer.

Compre sempre o seu próprio equipamento

Todos os ISP têm routers de acesso à Internet. Se a única coisa que quer é trabalhar com email, ver filmes na Netflix ou ouvir música no Spotify, os deles chegam e sobram.

Mas se procura velocidade à séria o melhor caminho é comprar o seu próprio equipamento. A principal vantagem é que os routers de marcas como a Asus ou a TP-Link estão muito mais optimizados que os genéricos que são disponibilizados pelos ISP.

Muitos routers destas marcas têm redes sem fios a 5GHz e wifi 802.11ac que funciona muito bem em situações em que há bastante ruído electrónico que de outra forma geraria muita interferência e perdas de velocidade. Ainda assim a regra de ouro para que quer jogar é ligar o máximo de equipamentos que for possível por cabo. Esqueça as ligações sem fios. São convenientes mas injectam sempre algum lag e como todos sabemos, lag quer dizer mortes prematuras nos mundos de jogo.

Se não for possível ter tudo ligado por cabos de rede tradicionais (pela distância, por exemplo), experimente uma ligação powerline ou um segundo router ou switch para aumentar a distância da ligação. A rede sem fios só deve ser utilizada se não houver mesmo mais nenhuma opção.

Caso não saiba, um router é essencialmente um computador, e tal como acontece nos computadores “tradicionais” também existem routers que têm processadores mais potentes que outros e modelos com mais memória RAM que outros. Estes routers mais potentes conseguem processar o tráfego mais rapidamente, logo ganha sempre mais alguns milissegundos.

Se tiver uma ligação de fibra até casa, como é o caso das oferecidas pela Vodafone ou MEO, não opte por um router com ONT (Optical Network Terminal) incluído, como é o caso da Fiber Gateway do MEO ou o Smart Router da Vodafone. Isto porque, se tiver um ONT externo tem sempre a opção de ligar um router melhor e sem perder acesso aos serviços da operadora, isto porque muitos routers já incluem funcionalidades que permite aceder a serviços como IPTV (box de televisão) e telefonia.

Se tiver ADSL tem mais liberdade porque praticamente todas as marcas têm routers que funcionam com este sistema.

Se tiver uma ligação por cabo coaxial (NOS) tem mesmo de utilizar o router da operadora porque não existem routers para com estas ligações.

Cabos para tudo

Como já foi referido, o ideal é tudo ligado por cabo, de preferência com cabos CAT5e ou CAT6. A diferença entre estes dois tipos de cabos está na blindagem. A blindagem de um cabo impede que esse cabo funcione como uma antena, e apanhar tudo o que é ruído electrónico que possa ter em casa. Isto causar interferências que introduzem erros na comunicação, o que, por sua vez, fazem com que a velocidade baixe. Isto é particularmente importante se utilizar cabos longos.

Esta regra também se aplica a outos acessórios como os teclados e ratos. Se quiser jogar mais “seriamente” utilize sempre periféricos ligados por cabo, nunca wireless. Isto minimiza qualquer lag que possa ser introduzido. Por exemplo em situações de jogos profissionais não se podem utilizar periféricos sem fios. Isto elimina qualquer interferência entre os dispositivos e também para nivelar a dificuldade.

Existem teclados e ratos para jogos sem fios que prometem que não têm lag, mas não confie muito. Se tiver hipótese experimente antes de comprar. Se quiser mesmo algo sem fios, opte por material que funcione na gama de frequências dos 5GHz porque está menos “poluída” que a dos 2,4 GHz utilizada por tudo, desde telefones sem fios até redes wifi.

Definições personalizadas do router

Alguns routers pensados especificamente para jogos oferecem definições específicas para jogos que dão mais prioridade a consolas e PC que a outros dispositivos ligados à mesma rede. Normalmente o utilizador apenas tem de as ligar.

Depois de aceder à interface de configuração do router, procure uma definição chamada QoS (Quality of Service) e dê prioridade máxima às consolas e PC de jogos sobre o resto. Depois disto o router faz o resto.

Para ajudar dê um endereço IP estático aos seus dispositivos para ter a certeza que tem precedência sobre tudo o resto.

Também pode configurar o port forwarding (Redireccionamento de portas) do router. Todos os routers utilizam um método chamado NAT (Network Address Translation) que permite aos vários dispositivos ligados em rede terem endereços IP privados e ao mesmo tempo comunicarem com outros dispositivos que estão na Internet, que têm endereços IP públicos. A comunicação é automática quando um dispositivo na rede privada quer aceder a qualquer serviço na rede pública. Mas quando quiser albergar um serviço na rede privada, como um servidor de jogos online, tem de utilizar o port forwarding para indicar que portas de comunicação podem ser utilizadas.

Este sistema também tem de ser utilizado quando está a jogar online e está com problemas com VoIP.

Estas configurações podem ser algo densas para quem não tem experiência, mas existem muitos recursos online que podem ajudar.

Se tiver confiança pode experimentar instalar firmware personalizado no router. Estes firmwares oferecem mais opções de personalização que servem para afinar o desempenho do router ao mais infimo pormenor.

Já que falamos de firmware, não se esqueça de manter o firmware do router sempre actualizado.

A última dica que lhe podemos oferecer relacionada com o router é sobre DNS. O DNS é o serviço que lhe permite escrever um URL, algo como www.pcguia.pt, no browser em vez de ter de escrever o endereço IP do servidor. Os serviços DNS configurados por defeito pelos operadores estão albergados nos seu servidores e muitas vezes não primam pela velocidade. Por isso, utilize o serviço de DNS do Google ou da Cloudflare que lhe garantem mais velocidade na tradução dos endereços, mais privacidade e ficam completamente fora dos bloqueios a vários sites, que são impostos em Portugal.

Para utilizar estes DNS pode colocar os respectivos endereços IP dos servidores tanto nas definições de rede dos dispositivos individualmente ou no router, para todos utilizem esses serviços automaticamente.

DNS Google

IP V4

8.8.8.8

8.8.4.4

IP V6

2001:4860:4860::8888

2001:4860:4860::8844

DNS Cloudflare

IP V4

1.1.1.1

1.0.0.1

IP V6

2606:4700:4700::1111

2606:4700:4700::1001

Ambos são gratuitos.

Os ecrãs também são importantes

Também os ecrãs, sejam monitores ou televisores têm impacto no desempenho dos jogos. Se procurar um monitor para jogar vai querer um modelo com o mínimo de lag possível. De preferência abaixo dos 30 milissegundos. Os televisores modernos podem ser capazes de reproduzir imagens impressionantes a 4K HDR, mas a qualidade prejudica a velocidade, por causa do pós-processamento que o processador da TV tem de fazer.

Se jogar num televisor ligue sempre o modo de jogo se o seu modelo o tiver. Isto desliga o pós-processamento, o que melhora muito os tempos de resposta.

Se jogar em PC, o caso é um pouco diferente porque os monitores têm sempre menos lag que os televisores. Alguns monitores conseguem chegar ao 240 Hz, outros só aos 144 Hz ou mesmo aos 60 Hz. Isto indica que são capazes de taxas de actualização que vai dos 240 ao 60 FPS. Frame rates mais baixas querem dizer que a sua máquina não está a desenhar a cena que está no ecrã a uma velocidade tão alta como os outros, isto pode querer dizer que um adversário com um monitor mais rápido tem um tempo de reacção mais baixo, o que lhe dá vantagem.

Por fim, mesmo com um monitor ultra rápido não se pode esquecer que quem o comanda é a gráfica, e se ela não tiver músculo para fazer todos os cálculos para obter a taxa de actualização correcta não lhe serve de nada ser ultra-rápido.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×