Quanto vale a SPC? «Queremos fazer cinco milhões este ano e duplicar a facturação até 2026»

Um dos principais objectivos para o mercado português passa pela aposta ainda maior nos telemóveis para séniores.

©PCGuia - Manuel Ferreira
©PCGuia

A marca espanhola conhecida pelos seus gadgets low-cost reuniu vários jornalistas em Lisboa para fazer um ponto de situação sobre a presença no mercado nacional e traçar os objectivos para 2023.

Manuel Ferreira, country manager da SPC em Portugal (na foto de destaque) disse que a empresa tem o objectivo de chegar aos «cinco milhões de facturação» ainda este ano, em Portugal. Para 2023, a marca quer consolidar a relação com as operadoras nacionais, uma vez que esta é uma ponte para «aumentar» as vendas dos seus equipamentos. Actualmente, a única parceira neste campo é a NOS.

Outro dos objectivos para o mercado português passa pela aposta ainda maior nos telemóveis para séniores – a marca garante que, neste momento, está no «top 3 nacional», neste segmento.

Para a SPC, um dos seus maiores argumentos para atingir estes objectivos passa pelo facto de ser uma empresa ágil: «Temos a flexibilidade que as grandes marcas não têm – conseguimos identificar oportunidades no mercado e lançar produtos de forma rápida para responder à procura do público».

©SPC
 ©SPC | O Zeus 4G é um dos smartphones daSPC dirigido ao público sénior.

Outro dos desafios da SPC para 2023 tem que ver com novas gamas de produtos que vão ser anunciados; a marca vai continuar sem ter smartphones ou tablets com preços elevados, mas assume que estão nos planos novos dispositivos que podem chegar aos «duzentos euros».

Por outro lado, a conjuntura económica, marcada pela inflacção, não será um argumento para a SPC aumentar os preços – Manuel Ferreira garantiu que a marca vai «manter» os valores dos produtos actuais. Para 2026, a marca definiu um objectivo ambicioso: «duplicar a facturação», que actualmente está nos trinta milhões de euros.