Venda de placas gráficas está ao nível de 2009 (em unidades)

O terceiro trimestre do ano costuma ser o que regista sempre maior crescimento na venda de GPUs, mas este ano os resultados estão a ser péssimos, ao nível da última grande recessão global.

A consultora Jon Peddie Research publicou um estudo que refere que, segundo as vendas do terceiro trimestre de 2022, o mercado das placas gráficas caiu para valores próximos dos sentidos durante 2009, altura da última grande recessão global.

Durante este período, foram vendidas 75,5 milhões de processadores gráficos (GPU), o que corresponde a uma queda de 10.3% face ao anterior trimestre, e se contabilizarmos o número total de GPUs vendidos até ao momento, encontramos uma queda de 25,1% face ao mesmo período no ano passado.

Curiosamente o mercado que tem sofrido mais com a queda na venda de GPUs dedicadas é o dos computadores portáteis, que diminuíram 30%, face aos GPUs para computadores desktop, que caiu apenas 15.43%.

Entre os fabricantes, a Intel tem conseguido conquistar mercado aos restantes, tendo agora 72% de quota de mercado, com a Nvidia a manter apenas 16% (queda de 1.87%) e a AMD a descer para a última posição com apenas 12% (queda de 8.5%).

Pode ser que no último trimestre de 2022 a situação mude de figura, com o lançamento das novas Radeon 7000, mas tendo em conta que estas só deverão chegar às lojas a meio do mês de Dezembro, as possíveis vendas, por mais positivas que sejam, poderão ter pouco impacto no resultado final do trimestre.