Vasco, o tradutor de bolso polaco inspirado no navegador português quer vender duas mil unidades por ano

A marca, que até 2022 apenas vendia online, passou a estar presente em exclusivo na iServices, mas até ao fim do ano vai haver uma novidade.

Os tradutores de bolso podem, hoje em dia, parecer redundantes e desnecessários: qualquer smartphone com o Google Tradutor pode pôr-nos a falar qualquer língua em minutos e servir de interlocutor com pessoas de diferentes nacionalidades.

Contudo, o Vasco, criado em 2008 por um paramédico polaco fã de Vasco da Gama, quer encontrar um nicho ou, melhor, um bolso: de utilizadores profissionais que valorizam a encriptação e a segurança.

«Forças de segurança em geral e polícia fronteiriça são dois sectores que se encaixam nos utilizadores tipo do Vasco, mas não só: o tradutor também está a ser usado em hospitais, como é o caso do São João, no Porto», diz João Fernandes, country manager da Vasco Electronics, em Portugal.

©CHUSJ
©CHUSJ | João Fernandes entregou os tradutores Vasco em mão no Hospital de São João.

Em Setembro, a GNR também pediu para fazer uma demonstração com o Vasco no congresso da FIEP, mas, até ao momento, não avançou com qualquer pedido de aquisição, revelou o mesmo responsável durante um pequeno-almoço com alguns jornalistas, que aconteceu hoje, em Lisboa.

Uma das mais recentes iniciativas em que a Vasco participou foi na ajuda a associações nacionais que estão a receber (ou receberam) refugiados ucranianos. A empresa está a emprestar tradutores de bolso para facilitar a comunicação – João Fernandes diz que foram cedidos «menos de vinte» equipamentos.

A marca, que até 2022 apenas vendia online, passou a estar presente em exclusivo na iServices, mas até ao fim do ano vai haver uma novidade: há acordo com a Rádio Popular para que o Vasco fique disponível nesta superfície comercial.

©Vasco Electronics / DR. M3 + V4
©Vasco Electronics / DR. | Uma das principais diferenças entre as duas versões é o ecrã. No M3 tinha duas polegadas e no V4 tem cinco.

Neste momento, existem dois modelos à venda: o M3 (289 euros), que chegou a Portugal em 2020 e o mais recente V4 (389 euros): ambos já foram testados pela PCGuia. Segundo João Fernandes, o primeiro modelo «superou as expectativas de venda em 60%»; em relação ao novo, o country manager quer vender duas mil unidades por ano.

«Costumamos dizer que descobrir a riqueza do mundo através dos idiomas é uma aventura única. Com o V4, a aventura é ainda maior, mais entusiasmante, mais cheia de possibilidades» concluiu João Fernandes.