Stray

Já fui muitas coisas em jogos, desde robôs a extraterrestres, mas nunca um gato… até experimentar Stray.

Stray pode ser considerado um híbrido entre um jogo de plataformas (claro que tinha de ser de plataformas…) e um de aventuras tradicional. A história passa-se numa cidade decadente, em que os únicos habitantes são robôs construídos para ajudar os antigos habitantes humanos, mas que ganharam inteligência e acabaram por ficar a viver lá, depois de as pessoas se terem ido embora. Por um acaso, o nosso gato (que não tem nome) vai parar à cidade; a partir daqui, o objectivo é sair da cidade para se juntar aos outros gatos.

Um comando a ronronar
Uma coisa que se tem de ter em mente é que este gato não tem quaisquer poderes, não tem armas, nem super-força. É um simples gato. Aliás, como tutor de três gatas (uma delas igualzinha ao protagonista de Stray), um dos aspectos de que gostei mais neste jogo é a fidelidade com que o estúdio BlueTwelve conseguiu replicar o movimento e os trejeitos de um destes felinos. Em certas alturas até se pode fazer com que o gato afie a unhas ou se ponha a dormir – neste último caso, o comando até vibra para imitar o ronronar do gato.


A certa altura, encontramos um pequeno robô voador, chamado B-12, que nos permite comunicar com os outros robôs que vai encontrando pelo caminho. Mas as cidades não estão só cheias de robôs simpáticos, também têm uns mutantes chamados Zurks que podem matar.

Um jogo muito curto
Stray tem vários momentos em que recebemos missões secundárias para fazer. Estas, obrigam a uma exploração completa da zona em que nos encontramos, para receber recompensas, e outras em que a acção é completamente linear, por vezes semelhante à mecânica de Crash Bandicoot. Também há zonas em que é quase obrigatório não dar nas vistas, para evitar os drones de segurança.
Francamente, o único problema de Stray é o tempo em que se consegue acabar o jogo. Em apenas cinco horas estamos despachados, mesmo com as side quests e a exploração. É pouco, se tivesse mais três ou quatro horas não fazia mal nenhum.


Desenvolvido por: BlueTwelve Studio

Distribuidora: Annapurna Interactive

Plataformas: PS4, PS5, Windows

Preço: €26,99 (Steam); €29,99 (PlayStation 4/5)


Selo PCGuia Excelência