Pirataria não é roubo

O agravar das leis anti-pirataria não trará mais sucesso para as editoras, nem para os criadores de conteúdo: a sua fragmentação só vai dar mais força à pirataria.

DCStudio/Freepik

Saiu um estudo de Harvard em que o stream pirata e o download não são vistos como roubo. Neste estudo feito por cinquenta advogados desta universidade, é demonstrado que a pirataria é, até, bastante tolerada e apoiada por muitos.

O objectivo deste estudo foi descobrir como é que os juristas de Harvard viam as leis actuais de direitos de autor/copyright, a aceitabilidade da pirataria digital e o futuro destas leis.

Este estudo mais aprofundado sobre o tema conclui que a maioria das pessoas sabe que a pirataria é ilegal (com a ressalva de que, em Portugal, apenas o upload é ilegal, até ver) e que muitas dessas pessoas até são polícias, médicos e inclusivamente advogados, entre outros. Alguns advogados de renome não consideram a pirataria anti-ética e até apoiam o acto.

Com base nisto, os investigadores consideram que deve existir uma mudança de paradigma na qual os provedores de media se devem concentrar mais na conveniência, acessibilidade e preço de acesso, em vez de gastar os seus esforços em combater a pirataria. O agravar das leis anti-pirataria não trará mais sucesso para as editoras, nem para os criadores de conteúdo: a sua fragmentação só vai dar mais força à pirataria.