Tire o máximo partido dos discos SSD

Os SSD são muito mais rápidas que os discos rígidos mecânicos e tradicionais, mas apenas se forem configurados de forma correcta. Siga as nossas cinco dicas para ter uma unidade de armazenamento à prova de lentidão e problemas.

A sigla SSD significa’ solid-state drive’, um conceito que não tem uma tradução à letra em português (disco de ‘estado sólido’ não será o mais correcto). Para termos uma ideia mais certa do que estes discos são, o seu oposto são os discos rígidos mecânicos (HDD) que têm vários ‘pratos’ e uma “agulha” que vai lendo a informação que aí se encontra. Já os SSD não têm partes mecânicas: são, basicamente, como pens, com memória flash NAND, o que significa que os dados podem ser acedidos de forma muito mais rápida, o que contribui para que um computador deixe de ser uma ‘tartaruga’. Além disso, os computadores equipados com um SSD, seja interno ou externo, têm um tempo de arranque muito mais curto que os equipamentos com HDD.

Contudo, os SSD também podem ter problemas de desempenho, quer porque não estão bem configurados, quer porque têm problemas de compatibilidade com o Windows: depois da actualização para a versão 11, alguns utilizadores queixaram-se de que estes discos ficaram mais lentos. Neste guia, partilhamos dicas para evitar que haja contratempos deste género e dizemos-lhe como pode ter um SSD a funcionar ao máximo.

1 – Verifique se a funcionalidade Trim está activada
O desempenho suave do seu SSD é parcialmente determinado por uma funcionalidade chamada ‘trim’, que permite ao Windows “dizer” ao SSD quais os blocos de dados que já não estão a ser utilizados e que podem ser apagados com segurança. Isto significa que, quando guardamos novos dados na unidade, não será preciso gastar tempo a apagar a informação existente para criar espaço, o que torna tudo mais rápido e eficaz.
Quer o Windows 10, quer o 11, devem detectar e activar automaticamente o Trim, mas é importante verificar se está ligado, especialmente se o SSD estiver a funcionar de forma lenta.

Escreva cmd na caixa de pesquisa do menu ‘Iniciar’ e clique em ‘Linha de comandos’. Quando a janela abrir, escreva fsutil behavior query DisableDeleteNotify e dê um ‘Enter’ Se o resultado for ‘= 0’, o Trim está activado; se for ‘= 1’, está desactivado. Se for esta a situação, use o comando fsutil behavior set DisableDeleteNotify 0.

2 – Desligue a capacidade de o SSD hibernar
Tal como nos discos rígidos mecânicos, um SSD que esteja a ficar sem espaço será mais lento, pelo que vale a pena fazer uma limpeza regular para remover programas e ficheiros desnecessários. Aqui, há um truque específico para libertar espaço num SSD: desligar a hibernação do disco. Esta funcionalidade foi criada para prolongar a duração da bateria dos portáteis quando não o estamos a usar e faz com que tudo o que esteja na memória seja copiado para um ficheiro chamado ‘Hiberfil.sys’ – só depois é que o computador é desligado. Quando voltamos a ligar o PC, o Windows carrega todos os dados deste ficheiro SYS. Contudo, como os SSD gastam menos energia que os discos rígidos mecânicos, não precisam de hibernar: copiar dados para o ficheiro ‘hiberfil.sys’ serve apenas para desperdiçar espaço.

Para descobrir quanto é que o modo de hibernação usa, entre, mais uma vez na ‘Linha de comandos’ do Windows e escreva o comando dir c:\ /as. Aqui, na linha onde está ‘hiberfil.sys’, o espaço de armazenamento aparece à esquerda, em bytes: no nosso caso são 10 222 063 616 bytes, ou seja, cerca de 10 GB.

Para desactivar a hibernação, apagar o ficheiro ‘hiberfil.sys’ e, assim, acelerar o SSD, escreva o comando powercfg /h on e carregue em ‘Enter’. Não vamos receber uma confirmação de que o modo de hibernar está desactivado, mas podemos confirmar se usarmos o comando powercfg /a.

3 – Altere a ordem de arranque do PC
Se o seu computador tem um SSD, o ideal é configurá-lo para que faça boot (arranque) a partir dessa unidade, em primeiro lugar – isto vai fazer com que o Windows inicie em poucos segundos. Para alterar a ordem de arranque, terá de aceder à UEFI ou à BIOS do PC.

Entre nas ‘Definições’ do Windows, clique em ‘Actualizações & Segurança’ > ‘Recuperação’ > ‘Reiniciar agora’. No ecrã azul que aparece, escolha a opção ‘Resolução de Problemas’ > ‘Opções avançadas’ > ‘Definições de Firmware UEFI’ > ‘Reiniciar’. O ecrã que aparece, varia de computador para computador, uma vez que cada marca tem a sua interface. Contudo, a definição da ordem de arranque (boot) do PC deve estar numa opção com o mesmo nome.

Aqui, tem de usar as teclas direccionais para mudar a ordem de boot; se o disco SSD já for o primeiro da lista, não tem de fazer nada. Carregue em ‘F10’ (ou na tecla que estiver indicada – ‘Exit’) para sair. No nosso caso só tínhamos um disco e era SSD, por isso não foi preciso alterar qualquer definição de arranque. Se tiver de mudar, não se esqueça de gravar as alterações quando estiver a sair da BIOS – as instruções/aviso para o fazer aparecem sempre no ecrã.

4 – SSD com mais energia
Outra razão que leva a que um SSD possa estar lento, tem que ver com o facto de o Windows não estar a fornecer energia suficiente. Se um portátil não estiver ligado à corrente, pode não fazer isto para ter mais autonomia, mas se estiver a usar o computador ligado à corrente, pode afinar as definições de energia para que o SSD trabalhe no máximo. Clique no ícone da bateria que está na barra de tarefas e ajuste o slider para ‘O melhor desempenho’.

5 – Actualize o firmware do SSD
Assim como qualquer outro tipo de hardware que esteja instalado no PC, o SSD também deve ter o mais recente firmware disponível. Isto não só corrige bugs identificados pelo fabricante, mas também melhora o desempenho do disco e assegura que é totalmente compatível com a versão actual do sistema operativo. Normalmente, as actualizações aos SSD são feitas pelo Windows Update, mas é possível fazê-lo manualmente.

Quer esteja a usar o Windows 10 ou 11, use a combinação de teclas ‘Windows + R’ para abrir o ‘Executar’; escreva devmgmt.msc e clique em ‘Enter’, para abrir o ‘Gestor de Dispositivos’. Na lista que aparece, procure pela opção ‘Unidades de disco’ e dê-lhe dois cliques para que os discos instalados no PC apareçam. Carregue com o botão direito do rato sobre o SSD e escolha ‘Atualizar controlador’ > ‘Procurar controladores automaticamente’. Se houver actualizações, o Windows sugere a instalação, mas o mais provável é que a mensagem mostrada seja a mesma que nos apareceu: ‘Já estão instalados os melhores controladores para o dispositivo’.