Aceleradores para mineração de criptomoeda da Intel chegam este ano

A Intel prepara-se para entrar no mercado dos aceleradores de mineração de criptomoeda.

Intel-Blockchain-Accelerator
Imagem - Intel

Num artigo publicado no blogue da Intel, Raja Koduri, o director do Accelerated Computing Systems and Graphics Group, diz que a tecnologia blockchain é a chave para permitir a todos serem donos dos conteúdos digitais e serviços que criam. Por isso, a Intel quer contribuir para o desenvolvimento destas tecnologias e vai começar a vender o seu primeiro acelerador blockchain no final de 2022.

A organização da edição de 2022 da International Solid-State Circuits Conference (ISSCC), confirmou que a Intel tinha desenvolvido o chip Bonanza Mine para a mineração de criptomoeda. Na ISSCC 2022, que decorre este mês, a Intel pode dar mais informação acerca do que chama “um ASIC de ultra baixa voltagem para a mineração de Bitcoin”.

O anúncio oficial feito agora, dá sinais claros de que o ASIC para mineração de Bitcoin, mencionado anteriormente, não vai ser um produto único. Em vez disso, a Intel criou um novo departamento, chamado Custom Compute Group, na divisão liderada por Koduri. Esta nova equipa tem como tarefa a construção de novas plataformas optimizadas para vários tipos de trabalhos específicos, incluindo o processamento de transacções blockchain.

Sem o mencionar directamente, a Intel parece também estar interessada nos tokens não fungíveis (NFT). No artigo, Koduri, fala de posse digital sem mencionar directamente o termo NFT, ou algo semelhante.

Koduri diz que a Intel tem a noção que algumas tecnologias blockchain necessitam de grande poder de processamento, o que, por sua vez, faz com que consumam muita energia. Esta é uma das razões que levaram a Ethereum a passar para um modelo ‘proof-of-stake’ (que substitui o modelo ‘proof-of-work’), com a promessa de redução de consumo energético em 99,95%, em relação ao modelo anterior.

O primeiro acelerador blockchain da Intel pode oferecer mais de 1000x o desempenho por watt de energia consumida que um GPU normal na mineração baseada em SHA-256. Koduri não dá mais detalhes para além disto. Por exemplo, não diz o que entende por “GPU normal” ou como o ASIC da Intel se compara com outros que já estão à venda, em termos de desempenho por watt. Mas diz que a Intel vai dar mais detalhes na ISSCC este mês.