HP Spectre x360 Convertible

A HP lançou mais um Spectre, um computador que pode ser transformado num tablet e que até traz uma caneta.

Os Spectre são os modelos topo de gama da HP, máquinas desenhadas para quem ter um PC com estilo: estes modelos destacam-se, precisamente, por isso. Este x360 Convertible não é excepção, com uma caixa feita em metal escuro e uns apontamentos dourados no logo na tampa, nos rebordos, à volta do trackpad e nas peças que escondem as dobradiças do ecrã. Não sou grande apreciador de coisas douradas, mas a combinação de cores dá alguma piada ao Spectre.

Outra particularidade deste portátil é ter os cantos cortados na zona traseira, junto aos apoios do ecrã. O do lado direito tem uma entrada USB Type-C, ideal para ligar o transformador para carregar a bateria, porque assim o cabo de alimentação não fica a atrapalhar quaisquer outros dispositivos que estejam ligados.

O ecrã sensível ao toque, tem treze polegadas, usa tecnologia OLED e oferece uma resolução de 3000 x 2000. O ecrã roda para ficar apoiado na parte de trás da caixa, transformando o Spectre num tablet. Quando está neste modo, o teclado é desligado e apenas se podem usar os dedos ou a caneta incluída para interagir com o sistema.

 

A HP optou por ser minimalista no que toca às ligações: apenas estão presentes três USB (duas USB Type-C com Thunderbolt e DisplayPort e uma USB Type-A), uma jack de 3,5 mm para auscultadores e um leitor de cartões microSD.

O Core i7 é competente em praticamente todos os tipos de tarefas, mas não é o mais rápido. O processador gráfico é um Intel Iris Xe, que, sendo melhor que os das gerações anteriores, não chega aos “calcanhares” de uma GPU Nvidia ou AMD, principalmente porque o sistema gráfico não dispõe de memória RAM própria. E, como se sabe, a memória DDR4 é bastante mais lenta que as normalmente usadas nas placas gráficas, o que, por sua vez, tem um impacto negativo no desempenho. A grande (e única) vantagem da utilização deste GPU é melhorar a vida da bateria.

Para medir o desempenho e a bateria do Spectre, usámos o PCMark 10 e o 3D Mark para avaliar as capacidades gráficas. No desempenho de processamento geral, o Spectre portou-se bem. Como digo anteriormente, não é o CPU o mais rápido, mas dá para a maioria das tarefas. Graficamente, também não chega ao topo, mas é o suficiente.

O único ponto de avaliação em que fica realmente bem colocado é na autonomia, tendo conseguido o segundo melhor resultado de 2021. De certeza que o desempenho do processador e o monitor OLED são as duas coisas que mais contribuem para os bons resultados na vida da bateria.


Distribuidor: HP

Preço: €1799


Benchmarks

  • PCMark 10 Geral: 3916
  • PCMArk 10 Produtividade: 4900
  • PCMark 10 Bateria (minutos): 644
  • 3DMark Wildlife: 12 673

Ficha Técnica

Processador: Intel Core i7-1165G7 (até 4,7 GHz com Turbo Boost), 4 núcleos
Memória RAM: 16 GB LPDDR4x
Placa gráfica: Intel Iris Xᵉ Graphics
Armazenamento: SSD M.2 PCIe NVMe TLC de 1 TB
Ecrã: 3K 2K (3000 x 2000) de 13,5″, OLED
Ligações sem fios: Wi-Fi 6, Bluetooth 5, 2 x Thunderbolt 4 com USB4 Type-C, USB Type-A, jack de 3,5 mm, leitor de cartões microSD
Dimensões: 298,3 x 220,1 x 169 mm
Peso: 1,34 kg