Microsoft quer TPM 2.0 nos PC com Windows 11 e depois ensina a ultrapassar a falta desse chip

A Microsoft quer aumentar a segurança dos computadores com Windows 11, mas também ensina a ultrapassar a limitação de usar apenas PC com chip TPM 2.0.
TPM

Desde que o Windows 11 foi anunciado, a Microsoft tem vindo a dizer que, para se poder instalar o novo sistema operativo (ou actualizar a partir de uma versão anterior), os computadores têm de ter um chip TPM 2.0 de forma a melhorar a segurança geral do sistema. Agora que o Windows 11 já está em distribuição, a Microsoft publicou uma página, no site oficial, que ensina os consumidores a ultrapassar a necessidade de os seus computadores terem um chip TPM 2.0.

O processo envolve alterar algumas chaves do Registo na máquina, antes de fazer a actualização para o Windows 11, para que o sistema operativo ignore a verificação da presença de um chip TPM 2.0. Contudo, esta solução apenas pode ser aplicada a computadores que tenham, pelo menos, um chip TPM 1.2, que tem de estar ligado. A activação deste chip é feita, normalmente através da BIOS do computador ou motherboard.

Para adicionar o valor ao Registo no Windows 10, clique no botão ‘Iniciar’, escreva ‘Editor de registo’ e abra a aplicação. Depois aceda à chave: ‘HKEYLOCALMACHINE\SYSTEM\Setup\MoSetup’ e adicione uma nova REG_DWORD, com o nome AllowUpgradesWithUnsupportedTPMOrCPU e coloque um valor de 1.

Depois dos valores serem alterados, pode iniciar a actualização para o Windows 11 através da Media Creation Tool, que serve para criar uma pen drive de arranque para instalar o sistema operativo.

Com a pen drive drive criada através desta ferramenta, pode actualizar o sistema operativo, mantendo as aplicações e ficheiros, ou fazer uma instalação limpa.