WD altera componentes e firmware em módulos SSD, limitando o desempenho

Devido à falta de semicondutores, a Western Digital alterou os chips NAND de alguns módulos SN550, que oferecem um desempenho limitado em certas situações.

A falta de stock de componentes tem levado os fabricantes de dispositivos de armazenamento a terem que alterar, à última da hora, os fornecedores e os componentes usados nos seus produtos, embora sem informar os potenciais clientes dessa alteração. Já no passado a Patriot fez isso mesmo, ao alterar componentes dos seus módulos SSD Viper VPN100, mas desta vez foi a Western Digital quem foi apanhada neste tipo de procedimento.

Em causa está a série de módulos SSD Blue SN550 M.2, que segundo a página chinesa Expreview, recebeu novos chips de memória NAND, do tipo SLC (Single Layer Chip), que embora garantam o mesmo desempenho que os modelos originais em condições normais, registaram uma queda significativa de desempenho quando a memória cache SLC é esgotada, situações que ocorrem quando precisa de transferir grandes quantidades de dados, como vídeos 4K.

SSD Capacidade Total Cache SLC Velocidade de escrita (com cache SLC) Velocidade de escrita (sem cache SLC)
WD Blue SN550 1TB (original) 931 GB 12 GB 2160 Mbps 849 Mbps
WD Blue SN550 1TB (novo) 931 GB 12 GB 2160 Mbps 390 Mbps
WD Green SN350 960GB 894 GB 10 GB 2030 Mbps 376 Mbps

Ou seja, um módulo WD Blue SN550 de 1 TB tem uma cache SLC de 12 GB, que quando esgotada, reduz a velocidade de escrita dos 2160 Mbps para 850 Mbps. O problema é que os módulos com os novos chips registaram uma velocidade de escrita de apenas 390 Mbps, quando a cache SLC é esgotada, equiparando-o assim aos módulos WD Green SN350 de 960 GB, que é significativamente mais barato.

Visualmente é impossível de diferenciar se um módulo WD Blue SN550 é da nova ou da anterior geração, só usando o software Western Digital Dashboard poderá confirmar, através do firmware instalado. Se o mesmo começar com os dígitos “23”, então está perante a nova (e limitada) revisão.