AMD vende menos processadores, mas aumenta quota de mercado e lucros

Segundo dados do segundo trimestre de 2021, a AMD diminuiu o número de processadores vendidos, mas aumentou a sua quota de mercado (x86) e os lucros.
©AMD
©AMD

Segundo dados revelados pela consultora Mercury Research, durante o segundo trimestre de 2021, a AMD vendeu menos processadores que nos trimestres anteriores, mas os modelos vendidos foram os mais lucrativos, o que resultou num aumento dos lucros. O segmento de mercado que registou maior queda foi a dos processadores Desktop, tendo a quota de mercado descido para os 17.1%, face aos 19.3% registados no trimestre anterior.

Porém, no mercado de processadores mobile, a quota subiu para um total de 20%, tal como no mercado de processadores para servidores, que cresceu ligeiramente de 8.9% para 9.5%. Este último resultado apenas incluí sistemas com um ou duplo processador, não contabilizando sistemas com múltiplos processadores, como os sistemas Intel Xeon D.

Embora tenha diminuído o número de processadores vendidos, a AMD conseguiu aumentar a sua quota de mercado total no mercado de processadores x86 (incluí CPU para consolas) para 22.5%. Este resultado é excelente, se tivermos em conta que este mercado vale um total de 18 mil milhões de dólares por trimestre, e que corresponde a mais de 120 milhões de processadores vendidos, um aumento significativo face aos 90 milhões de processadores vendidos antes da pandemia.

Omdia

Curiosamente, segundo dados revelados por outra consultora, a Omida, a AMD obteve uma quota de mercado de servidores com 15%, o seu melhor resultado de sempre, mas que existe outro mercado que está a crescer e a ganhar peso, o dos processadores ARM. Nesse mesmo relatório, a consultora afirma que estes processadores poderão chegar aos 14% de quota de mercado já em 2025.