Rosetta 2 pode ser removido em algumas regiões na próxima actualização do macOS

O sistema de tradução de código Rosetta 2 permite aos Macintosh com processador M1 da Apple executarem programas feitos para processadores Intel.

Na terceira versão do macOS 11.3, que começou a ser distribuída aos programadores para que possam testar os seus produtos, foram descobertas novas strings no código que dizem “Rosetta will be removed upon installing this update” (O Rosetta será removido aquando a instalação desta actualização) e outra que indica: “Rosetta is no longer available in this region. Applications requiring Rosetta will no longer run”, (O Rosetta já não está disponível neste região. As aplicações que necessitam do Rosetta vão deixar de funcionar).

Segundo uma notícia do site MacRumors, a Apple não especifica em que regiões o Rosetta 2 vai deixar de estar disponível nem deu mais detalhes acerca desta alteração.

O Rosetta 2 permite ao computadores Macintosh que tenham um processador M1, fabricado pela Apple e baseados na arquitectura Arm, executarem aplicações para macOS programadas para os processadores x86 da Intel, utilizados em alguns modelos. O Rosetta funciona em segundo plano e quando um utilizador activa pela primeira vez uma aplicação programada para computadores Mac com processador Intel, o código da aplicação é traduzido automaticamente para que possa funcionar correctamente nos processadores Apple. Ao mesmo tempo é gravada no disco uma cópia da aplicação para que não seja necessário traduzi-la outra vez.

Não é conhecida a razão que pode levar a Apple a remover o Rosetta 2 dos Mac M1 em algumas regiões, mas pode estar ligada a problemas legais ou de direitos de autor.

Exit mobile version