Politécnicos requalificam profissionais para a área das tecnologias e prometem ordenados de 1200 euros

A formação dada pelos sete politécnicos vai durar seis meses e foca-se na programação Java, .Net, Python, por exemplo.
©Alvaro Reyes
©Alvaro Reyes

Os institutos politécnicos de Setúbal, Braga, Castelo Branco, Guarda, Santarém/Leiria, Porto e Viseu estão, neste momento, a formar profissionais para a área das tecnologias.

Esta iniciativa decorre no âmbito do programa de requalificação UpSkill, cujo objectivo é formar cerca de «três mil pessoas em três anos», numa parceria entre a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

A formação dada pelos sete politécnicos vai durar seis meses e foca-se na programação Java, .Net, Python e nas plataformas de desenvolvimento low code (como a da Outsystems), por exemplo: a lista completa pode ser vista aqui.

Depois segue-se um período de três meses de formação em contexto de trabalho numa das parceiras do UpSkill: Axians, CeiiA, Vodafone, Cisco e Google são algumas das possibilidades. A previsão é que 80% dos formandos seja contratada por estas empresas, com um salário mínimo de 1200 euros.