Amnistia Internacional acusa grupo de hackers Ocean Lotus de ataques contra activistas do Vietname

Estes ataques da Ocean Lotus foram feitos entre 2018 e 2020 e, segundo a Amnistia Internacional, têm de ser alvo de uma investigação do Governo.
©PCGuia
©PCGuia

Uma investigação da Amnesty Tech (um departamento da Aministia Internacional que se ocupa de temas ligados à cibersegurança e tecnologia) concluiu que o grupo de hackers Ocean Lotus é o responsável por vários ataques contra activistas do Vietname.

O Ocean Lotus é, segundo a Amnistia Internacional, suspeito de estar ligado ao Governo deste país asiático, que tem vários problemas com o cumprimento dos direitos humanos.

«Os últimos ataques da Ocean Lotus destacam a repressão que os activistas vietnamitas, dentro e fora do país, enfrentam por defender os direitos humanos. A vigilância ilegal viola o direito à privacidade e sufoca a liberdade de expressão», acusa Likhita Banerji, investigadora da Amnesty Tech.

Governo vietnamita deve fazer «investigação independente»

Para chegar a esta acusação, o Security Lab da Amnistia Internacional encontrou provas «em e-mails de phishing enviados a dois proeminentes defensores dos direitos humanos vietnamitas».

Estes ataques da Ocean Lotus foram feitos entre 2018 e 2020 e, segundo a Amnistia Internacional, têm de ser alvo de uma investigação do Governo para dissipar dúvidas sobre uma eventual ligação.

«O governo vietnamita deve fazer uma investigação independente. Qualquer recusa em fazê-lo só aumentará as suspeitas de que o governo é cúmplice dos ataques da Ocean Lotus», conclui Likhita Banerji. O relatório da Amnesty Tech pode ser lido aqui.