Colunas e altifalantes

Habitualmente associamos a reprodução do som a colunas ou altifalantes, mas será que sabe o que são ou como funcionam?
Scott Major/Unsplash

A reprodução de som é, essencialmente, a propagação de ondas sonoras pelo ar: a frequência de cada uma o que irá determinar o tipo de som que está a ser reproduzido. Para tal, é fundamental utilizar um dispositivo que possa gerar essas ondas sonoras, sendo as mesmas geradas através de um sistema de vibração de uma superfície, designado de ‘altifalante’, que por sua vez irá gerar uma pressão atmosférica a que chamamos ‘som’.

Os altifalantes funcionam através de um sistema magnético que converte o sinal eléctrico em impulsos e que gera uma reacção entre os elementos magnéticos; estes, por sua vez, fazem oscilar o cone do altifalante (diafragma) para que este tenha uma reacção de atracção ou repulsão. Será esse movimento que irá criar a perturbação ritmada do ar, gerando assim a onda sonora.

Frequências
O som de algo, como uma música, pode ter diversas tonalidades, uma vez que podem representar desde o som das cordas de um contra-baixo, ao som estridente de um violino. Para isso é essencial usar altifalantes que tenham características e dimensões específicas para reproduzir um determinado intervalo de frequências.

Para os sons mais agudos, com frequências mais agudas, utilizam-se altifalantes mais pequenos, os tweeters. Estes devem ser colocados numa posição específica, pois serão os altifalantes que reproduzem as frequências que sofrem mais com a direcção da propagação das ondas sonoras.

Em relação às frequências médias, habitualmente associadas a vozes e a alguns instrumentos de cordas, utilizam-se altifalantes médios, os woofers. Por fim temos os subwoofers, altifalantes de grandes dimensões, habitualmente associados a caixas de ressonância e que podem estar isolados numa caixa própria, que têm como função reproduzir as frequências mais baixas e mais abrangentes.

Para optimizar a reprodução do som, e evitar o cruzamento de frequências idênticas oriundas de altifalantes distintos, utiliza-se um circuito divisor de frequências, habitualmente designado de ‘crossover’, que actua como um filtro electrónico que distribuiu o espectro sonoro para os altifalantes mais indicados.

Superfícies acústicas
Além das colunas tradicionais, estão a aparecer novas soluções sonoras, como as superfícies acústicas, onde a coluna utiliza um actuador que tem como função usar a superfície como diafragma para propagar o som.

Esta solução passou a ser utilizada por pequenas colunas Bluetooth para compensar a falta de reprodução de baixas frequências. A tecnologia também está a ser aplicada em televisores, mas apenas nos modelos com painéis OLED, já que estes são os únicos que permitem algum tipo de oscilação. Fabricantes como a Sony e a LG, através das suas tecnologias Acoustic Surface e Crystal Sound OLED, respectivamente, utilizam um actuador que faz vibrar o painel OLED, para que este possa gerar som. Ao aplicar vários actuadores, com dimensões e localizações distintas, é possível recriar um sistema de vários canais, garantindo assim uma melhor identificação da origem do som, face a um tradicional sistema de som estéreo, que habitualmente recorre a simples altifalantes direccionados para trás ou para baixo do televisor.
Esta tecnologia também está a ser implementada em smartphones para substituir os altifalantes frontais (superiores), como acontece no LG G8 ThinQ ou no Huawei P30 Pro.