EDP investiu mais em startups

EDP

A EDP Ventures, o braço de Venture Capital da EDP, fechou o ano de 2019 com um investimento de mais de 6 milhões de euros, num total de 16 operações concretizadas em startups de cinco países: Portugal, Espanha, Holanda, Brasil e Israel.

A Energyworx, startup holandesa de gestão de dados, recebeu financiamento para ganhar escala e acelerar o crescimento internacional nos EUA e na Europa.

Também a Net2Grid, startup de análise de dados igualmente sediada na Holanda, recebeu investimento da EDP Ventures.

A empresa desenvolveu uma tecnologia que permite aos clientes das utilities receber informação em tempo real sobre o consumo de energia dos seus equipamentos.

As portuguesas Effizency (antiga Save2Compete), Drivit e Hypelabs também receberam financiamento da EDP Ventures em 2019, as duas últimas em co-investimento com a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD).

A Effizency criou uma solução tecnológica para as utilities ajudarem as PME a reduzir a factura da energia através da adopção de soluções de eficiência energética.

Já a Drivit desenvolveu uma app telemática para ajudar condutores a determinar o seu comportamento padrão, permitindo, entre outras aplicações, o mapeamento de viagens ou a determinação de perfis mais propícios a utilizar um veículo eléctrico.

Por fim, a Hypelabs desenvolveu um SDK que permite a comunicação entre diversos dispositivos sem recurso à Internet, através de uma rede mesh, aplicável a todo o tipo de objectos e qualquer sistema operativo.

O ano de 2019 ficou também marcado pelo primeiro exit realizado a 100% na Presenso, startup israelita que desenvolveu uma solução de machine learning para manutenção preditiva de activos.

Em 2020, a EDP Ventures pretende lançar um veículo de investimento em Espanha em colaboração com entidades públicas nacionais e regionais e tem 5 milhões de euros para alocar aos melhores projectos.

Neste âmbito, já estão fechados acordos para o desenvolvimento de parcerias com o Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial (CDTI) e o Governo regional das Astúrias para co-investimento.