Kaspersky: Coronavírus já infectou a Internet

As tecnologias de detecção da Kaspersky encontraram ficheiros maliciosos disfarçados de documentos relacionados com o coronavírus.

Estes ficheiros maliciosos estavam mascarados em ficheiros PDF, mp4 e docx, e tinham uma designação que indicava que continham instruções sobre formas de protecção e detecção do vírus, bem como as últimas actualizações sobre o tema, que é real.

Estes ficheiros eram o veículo para uma série de ameaças, desde trojan e worms, capazes de bloquear, modificar e copiar dados, bem como de interferir com o funcionamento de computadores e redes informáticas.

“O coronavírus e a evolução do seu estado de propagação são actualmente notícia em todos os meios, sendo este um tema tão mediático que já foi utilizado pelos hackers como isco. Até ao momento, identificámos 10 ficheiros de malware, mas é previsível que este número aumente, devido ao interesse que a doença suscita, não só junto dos órgãos de comunicação social, como da população em geral”, comentou Anton Ivanov, analista de Malware da Kaspersky.

Para evitar que os utilizadores se tornem vítimas de programas de malware que se fazem passar por conteúdos exclusivos, a Kaspersky recomenda evitar os links suspeitos que prometem conteúdo exclusivo, e estar atento à extensão dos ficheiros descarregados, pois tanto vídeos como documentos nunca devem ter o formato .exe ou .ink.