Cinco ferramentas livres para edição de video

Quando o tema é edição de vídeo profissional, nomes como Final Cut Pro e Adobe Premiere Pro, continuam a ser “reis e senhores”, mesmo porque a maioria usa sistemas Windows e macOS para este efeito. Mas, para quem tem Linux, há alternativas – vamos dar cinco sugestões.

Blender
O Blender faz mais que edição de vídeo: é uma suite criativa de código aberto, com uma ampla gama de poderosas ferramentas, para modelagem 3D, manipulação, animação, criar objectos, esculpir e pintar com vários tipos de texturas, renderização e rastreamento de movimento, até mesmo criação de jogos.

Este software também pode ser usado profissionalmente e é capaz de criar cenas em 3D complexas. A sua curva de aprendizagem é difícil, pois obriga a ter dedicação, com recurso a tutoriais diferentes disponíveis na página inicial do projecto, juntamente com diferentes formas de documentação para modelos, texturas, animações e renderizações.

Não será a escolha de muitos devido à sua complexidade, no entanto é uma aplicação poderosa e livre compatível com Windows, macOS e Linux.

blender.org

Cinelerra
No seguimento do Blender, o Cinelerra não é apenas um editor de vídeo, mas de edição, reprodução e gravação de áudio, bem como de fotografia. Com tantos recursos, não só ao nível de processamento de alta resolução, como de composição, podem imaginar como é também complexo – a instalação não é muito simples.

O Cinelerra está disponível apenas para sistemas Linux, com várias versões para download, como a GG que tem um ciclo de desenvolvimento mais rápido e com novos lançamentos todos os meses. Já a versão CV tem foco na estabilidade, mas o desenvolvimento de momento está parado; a CVE é um desenvolvimento pessoal de Einar Rünkaru (o programador principal deste editor), que tem como objectivo melhorar a versão estável; finalmente, temos a versão HV, a primeira versão do projecto, criada por Adam Williams (outro dos seus criadores) que lança novas actualizações uma vez por ano.

cinelerra-gg.org

Kdenlive
Este é o editor de video que mais usei, por vários factores: é uma das ferramentas da comunidade Kde, a curva de aprendizagem é relativamente simples para uma edição básica, não requer um computador muito potente, a resolução de 1080p máxima para produção de vídeos para o YouTube é perfeitamente aceitável e oferece uma ampla variedade de filtros, efeitos e transições. O Kdenlive é compatível com Windows e Linux, no entanto a instalação em Windows não é assim tão simples e a compatibilidade também não é das melhores – pelo menos, da última vez que instalei no Windows 10 tive vários erros; já em Linux funciona bastante bem e é bastante poderoso, quando bem explorado.

Estas e outras características únicas, tornam o Kdenlive muito popular para a comunidade Linux.

kdenlive.org

Openshot
O desenvolvimento deste editor foi feito a pensar na simplicidade e, por isso, é rico em filtros, transições e animações de títulos em 3D básico, sem que para isso o utilizador tenha de recorrer a tutoriais para criar o efeito desejado.

A grande vantagem no Openshot é ter já tudo pré-preparado para editar um vídeo num curto espaço de tempo e com um aparente profissionalismo no resultado final. Devido a tantas características, este editor consome muitos recursos do computador e, pela experiência que tenho, continua com alguns bugs no que toca a renderização do vídeo, bem como a revelar alguns bloqueios durante a edição. Actualmente, o programador está dedicado a tempo inteiro ao projecto, o que ajudará no crescimento do mesmo.

openshot.org

Flowblade
O Flowblade tem um aspecto muito semelhante ao Kdenlive, mas é mais actual e leve, porque também não tem tantas opções como os editores anteriores, o que sinceramente acaba por ser menos assustador.

Outra característica que me agradou foi a de dar a possibilidade de escolherem três tipos de área de trabalho: o padrão, como na maioria dos editores de vídeo; um estilo mais avançado, com acontece noutras ferramentas de edição; ou, então, manter aquele já configurado em versões anteriores do programa. A instalação é bem simples e o Flowblade é compatível com várias distribuições, inclusive com pacote Flatpak ou por código fonte.

Flowblade

Conclusão
A lacuna de editores de vídeo ainda é grande e, por isso, comparar ferramentas de edição de proprietárias com ferramentas livres, não é justo nem realista. No entanto, bons programas não faltam para quem usa sistemas Linux e estas cinco alternativas são um exemplo disso.