NotíciasSoftware

Stadia vai prever input dos jogadores para minimizar lag

O novo serviço de streaming de jogos Stadia da Google vai usar inteligência artificial para conseguir "latência negativa".

Os serviços de streaming de jogos ainda têm um longo caminho para ganhar a confiança dos jogadores, principalmente no que respeita ao lag, a latência que existe entre o momento em que o utilizador faz uma acção no teclado, comando, ou qualquer outro dispositivo que esteja a usar para controlar o jogo, e o resultado dessa acção no jogo.

Neste contexto de streaming de jogos, o lag pode ficar-se a dever a muitos factores, como a velocidade de acesso à Internet ou a distância a que os servidores do Stadia estão do computador do jogador. E o lag mata a experiência de jogo.

Numa entrevista dada à revista Edge, um dos responsáveis máximos de engenharia do Stadia, Madj Bakar, disse que o serviço da Google vai ser, eventualmente, mais responsivo que uma consola de jogos instalada no sítio onde o jogador está.

Excerto da entrevista de Madj à Edge:

A latência é o assunto que merece mais atenção. E, apesar de se conseguir jogar perfeitamente no Stadia, Madj Bakar, espera mais melhoramentos. “Pensamos que dentro de um ano ou dois, vamos ter jogos que vão funcionar mais rapidamente e transmitir mais responsividade a funcionar na cloud do que localmente, independentemente do poder de processamento da máquina local”. Estes melhoramentos são baseados num conceito de uma tecnologia chamada “Latência negativa” em que o Stadia pode usar um jogos com um buffer para a latência prevista entre o jogador e o servidor e usar várias técnicas para a minimizar, ou mesmo eliminar. O jogos pode ser executado a uma taxa de actualização de frames muitíssimo alta, para que consiga reflectir os inputs do jogador mais cedo, ou pode mesmo prever que botões é que o jogador vai premir. Estes truques podem ajudar a ter a impressão que o jogo é mais responsivo, até mais do que num jogo para consola, a ser executado localmente a 30 fps usando um comando sem fios.

À primeira vista, o conceito de “Latência negativa” parece algo tirado de um filme de ficção científica. Mas, a combinação de de frame rates acima do normal com um buffer aparentemente pode funcionar. A experiência que a Google tem em inteligência artificial pode mesmo ser empregue no Stadia para prever as acções dos jogadores.

O serviço de streaming Stadia será lançado em Novembro, mas ainda não tem data de disponibilização em Portugal.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×