HardwareNotícias

Huawei apresenta o primeiro chip ‘All in one’ 5G

A IFA 2019 foi o palco escolhido pela Huawei para apresentar o Kirin 990, o primeiro chip 5G tudo-em-um a chegar ao mercado.

Kirin 990 5G

A Huawei aproveitou a primeira conferência da edição 2019 da IFA 2019, para apresentar o Kirin 990, o primeiro chip para dispositivos 5G de 7nm e 10,3 mil milhões de transístores, que oferece compatibilidade com todas as redes móveis num único componente.

Para que um dispositivo 5G possa ser usado em todas as redes móveis é necessário que tenha modems que funcionem com cada uma das gerações (1G, 2G, 3G, 4G e 5G). Se os chips para redes até 4G já foram integrados num único chip há já muito tempo, o chip que integra o modem 5G ainda era um componente separado, o que fazia com que as placas principais dos primeiros dispositivos 5G fosse maior que as dos dispositivos 4G.

Por dentro do Kirin 990

A compatibilidade 5G do novo SoC (System on a Chip) da Huawei é possível através da integração do já conhecido modem Balong 5000, apresentado no início de 2019. Este modem oferece simultaneamente suporte para redes 5G com arquitecturas não autónomas (NSA) e autónomas (SA), bem como bandas de frequência total TDD/FDD, o que faz com que os dispositivos construídos com este chip possam ser utilizados em praticamente todas as variações de implementação de redes 5G.

O Kirin 990 permite também a utilização de dois SIM: um com acesso 5G e um segundo com acesso 2G, 3G e 4G.

Segundo a Huawei, esta integração permite que o espaço ocupado pelos chips nas placas principais dos futuros dispositivos 5G seja 36% menor em relação aos de outras marcas.

A compatibilidade 5G é complementada com velocidades de transmissão de dados anunciadas pela Huawei de 2,3 Gbps para download e de 1,25 Gbps para upload. Claro que, numa aplicação real, estas velocidades dependam de vários factores, como a capacidade da rede ou a qualidade de recepção no local onde o utilizador se encontra.

Inteligência artificial

Para além do 5G, o Kirin 990 tem também o primeiro processador dedicado para aplicações de inteligência artificial com dois núcleos de capacidades diferentes, com o objectivo de optimizar o consumo de energia. O núcleo de capacidade menor é utilizado em aplicações menos exigentes e o de maior capacidade é chamado a funcionar quando a aplicação que está a ser utilizada necessita de mais poder de processamento.

Processamento geral

O Kirin 900 tem 8 núcleos para processamento geral: dois de grande capacidade (ARM Cortex-A76) capazes de velocidades até aos 2,86 GHz, dois intermédios (ARM Cortex-A76) com velocidades até aos 2,86 GHz e quatro mais pequenos (Cortex-A55) que podem chegar aos 1,95 GHz de velocidade de relógio. Para os gráficos, está presente um GPU Mali-G76 com 16 núcleos, que, segundo a Huawei, consegue mais 6% de desempenho e menos 20% de consumo energético.

O Kirin 990 inclui um sistema de cache, chamado ‘Smart Cache’, que serve para optimizar o fluxo de dados entre o processador gráfico e a memória do sistema que optimiza a largura de banda disponível e reduz o consumo de energia durante as tarefas gráficas mais intensivas.

Kirin990_Resumo

Fotografia

Como a fotografia é uma das funcionalidades mais importantes em qualquer smartphone moderno e a Huawei aproveitou a nova geração do seu SoC para actualizar também o sistema de apoio ao processamento de imagem para fotografia e vídeo com novos filtros que se apoiam fortemente nas renovadas capacidades de inteligência artificial do Kirin 990.

O Kirin 990 vai estar disponível em duas versões, com e sem 5G.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×