AnálisesJogos

Crash Team Racing Nitro – Fueled

Vinte anos depois, voltamos a pegar no volante e a acelerar com os karts de Crash Bandicoot e companhia.

Classificação

Gráficos7
Som7
Jogabilidade4
Longevidade4

Gostámos

  • Modos multiplayer

A rever

  • Jogabilidade
  • Novidades

Ponto final

5.5Escolher uma personagem, apanhar power-ups numa pista, mudar a cor do carro, personalizá-lo… e repetir isto tudo durante horas. Só há dois casos em que vai gostar deste jogo: ou é um fanático de Crash ou é uma criança. E, mesmo neste último caso, duvidamos muito que o interessa se mantenha durante tempo suficiente.

dois anos juntou os três primeiros jogos originais que tinham saído para a PlayStation: o resultado foi Crash Bandicoot N. Sane Trilogy, com todos os títulos remasterizados e preparados para 4K. Era óbvio que o próximo a levar este tratamento seria o jogo de karts com o marsupial e os seus amigos (e inimigos), que também foi lançado no final dos anos noventa. É precisamente isto que temos neste Crash Team Racing Nitro, que ganha o carimbo ‘Nitro-Fueled’ nesta sua nova versão para PS4 para lhe dar uma imagem de maior rapidez e actualidade.

Quase todos os jogos de personagens animadas que metam automóveis são obrigatoriamente comparados com Super Mario Kart – e isso não acontece por acaso, uma vez que foi este o jogo que, em 1992, inaugurou este género. Depois, foram lançadas novas versões ao longo dos anos e a verdade é que várias editoras seguiram depois a fórmula nos seus jogos. É sempre a mesma coisa: escolhemos uma personagem com um automóvel que tem características diferentes: velocidade máxima, aceleração e curvar.

Levar CTR ao máximo, só com amigos
Em Crash Team Racing Nitro – Fueled não é diferente. Ao princpio só oito personagens estão desbloqueadas: Crash Bandicoot, Dr. Neo Cortex, Tiny Tiger, Coco Bandicoot, Dr. N. Gin, Dingodile, Polar, Pura – estes dividem-se pelos níveis de dificuldade principiante, médio e avançado. Há personagens que só podem ser desbloqueados no Pit Stop (loja) depois de compradas e as outras vão ter de ser derrotadas no modo Adventure para ficarem disponíveis. Um grupo mais pequeno de personagens fica disponível depois de completar alguns desafios, o que acontece ainda com os vários chassis de automóveis, os tipos de pneus, as cores e os autocolantes.

No que respeita a modos de jogo, há vários, mas 80% deles vão apenas poder ser usados quando tiver, pelo menos, um amigo consigo, uma vez que são multiplayer local. É o que acontece no Local Arcade, onde os modos Cup Race, o Battle, o Capture the Flag ou o Last Kart Driving, só podem ser jogados com mais pessoas. Em Time Trial, o objectivo é, claro, bater tempos de voltas e depois há mais desafios onde podemos jogar sozinhos, sem ser no modo principal: CTR Challenge (apanhar as letras ‘C’, ‘T’ e ‘R’ na pista) e Crystal Challenge (apanhar vinte cristais numa arena antes do tempo acabar).

Jogabilidade penosa
Apesar de Crash Team Racing Nitro – Fueled ser um jogo bastante colorido, só será divertido quando jogado com mais pessoas: ou online ou na mesma sala, uma vez que os modos multiplayer são os que dão mais sumos ao jogo. Fora isso, este novo jogo com a mascote da Sony é um longo bocejo e um desperdício de tempo: a fórmula Mario Kart é repetida à exaustão e não há nada de novo trazido ao género.
Mas uma das piores coisas é mesmo a jogabilidade, com uma escolha de botões completamente errada: o ‘X’ serve para acelerar, em vez do que é normal em jogos de automóveis: o ‘R2’. Até para fazer marcha atrás tem de se mover o joystick da esquerda para trás. E nem é possível mudar isto.


Editora: Activision

Distribuidora: Sony

Plataformas: PS4, Xbox One, Nintendo Switch

Site: crashbandicoot.com

Preço: €39,99


PCGuia

1 comentário

Os comentários estão encerrados.

Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×