Review: Wondershare Recoverit

A Wondershare é já uma editora nossa conhecida, que teve, no passado, o Wondershare Data Recovery, uma aplicação eficaz de recuperação de ficheiros, mas que tinha algumas falhas, especialmente...

A Wondershare é já uma editora nossa conhecida, que teve, no passado, o Wondershare Data Recovery, uma aplicação eficaz de recuperação de ficheiros, mas que tinha algumas falhas, especialmente no que toca à organização da mesma, e nos constantes erros de tradução. Felizmente tudo isso foi resolvido com a nova aplicação de recuperação de ficheiros desenvolvida pela Wondershare, o Recoverit.

Modos de recuperação
Através de uma nova interface, visualmente mais atraente, apresenta um layout de acordo com o esperado para software desenvolvido para o Windows 10, ao contrário do que acontecia com o Wondershare Data Recovery, que se assemelhava aos menus do Windows XP.

Através da interface principal, terá disponível as oito principais funções de recuperação, estando estas criadas para cada tarefa em concreto, como a recuperação de arquivos eliminados, reciclagem, disco formatado, partição eliminada, dispositivos externos, ataques de vírus, dados após bloqueio do sistema e recuperação geral.

Desaparecido o modo de Assistente e modo Padrão, a pesquisa de arquivos ou ficheiros eliminados nos discos, partições ou dispositivos externos é, agora, muito mais simples e, se desejar, poderá usar sempre a opção final para as suas recuperações, ou seja, a opção de Recuperação Geral.

Esta opção dará acesso a uma interface que lhe permitirá escolher os discos existentes no sistema, bem como as respectivas partições, sem as confusões que ocorriam no passado, onde as partições não eram devidamente identificadas. Aqui saberá perfeitamente por onde procurar os ficheiros perdidos, incluindo nos dispositivos externos, como nos cartões de memória SD, pens USB ou cartão MicroSD instalado num smartphone.

Quando iniciar a pesquisa, poderá observar os resultados numa interface similar ao explorador de ficheiros do Windows, embora com maior informação disponível, já que poderá filtrar a visualização dos resultados usando uma exibição de árvore, similar à organização de pastas do Windows, ou em forma de tipo de arquivo, sendo os ficheiros filtrados de acordo com o tipo de arquivo (gráficos, vídeo, áudio, documentos, etc).

Igualmente importante é o facto de, ao clicarmos num ficheiro, podermos visualizar uma pré-visualização do mesmo, bem como as principais informações do mesmo (extensão, tamanho, caminho, data de criação e data de modificação).

Como é habitual, o Recoverit da Wondershare, embora seja disponibilizado de forma gratuita, implica a subscrição a um dos planos disponibilizados para poder recuperar os ficheiros, ao contrário do que aconteceu no passado, em que era possível recuperar até 100 MB de forma gratuita. Assim sendo, terá de subscrever ao plano Pro (€39,95 anual ou $49,95 para licença vitalícia), que além de permitir verificar e recuperar os ficheiros, incluí suporte técnico gratuito, ou ao plano Ultimate ($59,95 para versão anual ou $69,95 para licença vitalícia), que permite recuperar dados de sistema danificados (quando o PC não consegue fazer boot), a partir de um sistema de arranque.

Tutoriais
Um ponto que a Wondershare continua bastante activa é na criação de tutoriais que explicam como realizar recuperações de ficheiros e arquivos em situações específicas, como recuperar dados perdidos num cartão SD (recuperar fotos cartão SD), como recuperar arquivos eliminados do cartão MicroSD do seu dispositivo móvel Android (recuperar fotos de cartão memória), ou como recuperar arquivos apagados de uma pen USB (como recuperar pen drive), embora existam muitos outros tutoriais úteis, e que explicam detalhadamente os passos necessários para extrair todo o potencial do Recoverit.

Conclusão
Depois de experimentarmos, usando uma licença Pro, conseguimos determinar que o Recoverit é a evolução esperada do anterior Wondershare Data Recovery, não só em termos visuais como em funcionamento. Porém, o facto de quererem colocar todas as opções na interface principal poderá levantar algumas dúvidas aos utilizadores, que acabarão por utilizar apenas o método de Recuperação Geral, que funciona de forma eficaz na grande maioria das ocasiões. Em contrapartida continuam a persistir algumas falhas na tradução para Português, o que até poderia fazer sentido, tendo em conta que o Brasil acaba por ser o grande mercado deste software, mas alguns termos (como “Escanear”) acabam por complicar mais, do que ajudar, os utilizadores portugueses.

Prós
Visual modernizado: O visual da interface parece inspirada nos menus do Windows 10, o que representa uma melhoria significativa face ao design antiquado do seu antecessor.
Pré-visualização: Não precisa de esperar que o programa acabe de terminar a pesquisa para visualizar os ficheiros encontrados, bem como os seus conteúdos.

Contras
Demasiadas opções: O facto de se ter colocado todas as funções na interface principal poderá levantar algumas dúvidas sobre qual o procedimento que o utilizador deverá usar para a sua situação.
Erros de tradução: Embora seja notória uma melhoria significativa nos erros de tradução e na construção de frases para o português (do Brasil), continuam a existir algumas falhas de tradução, bem como a utilização de termos que, embora façam sentido no Brasil, são totalmente desconhecidos em Portugal, sendo preferível a utilização da aplicação em inglês.

Categorias
ReviewsSoftware
Sem comentários

Deixe um comentário

*

*

Assinaturas
Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link