NotíciasSoftware

Sistema da Universidade de Aveiro pode monitorizar o foco de cada estudante ao longo de uma aula

Universidade de AveiroUniversidade de Aveiro

Uma equipa de investigadores em Sistemas Inteligentes da Universidade de Aveiro (UA) desenvolveu um sistema informático capaz de monitorizar o foco de cada um dos estudantes ao longo de uma aula.

O sistema engloba uma câmara instalada na sala para captar toda a plateia ao longo da aula. A imagem é enviada continuamente para um servidor que detecta e reconhece as caras dos alunos.

Estas podem ser previamente registadas no sistema, atribuindo-lhes a identificação real, ou reconhecidas em tempo real, associando um ID virtual a cada aluno. Depois de todas as caras estarem identificadas, o servidor extrai os dados necessários para estimar o foco com que os estudantes estão ao longo da sessão.

Para além das aulas, o método desenvolvido na UA poderá entrar em acção em congressos, palestras ou em qualquer outro tipo de acontecimento com público e oradores.

“O sistema calcula a pose da cabeça de cada pessoa utilizando um conjunto de características retiradas da face, previamente detectada na imagem, por forma a estimar para onde estão a olhar”, explicou Daniel Canedo que, juntamente com António Neves, ambos investigadores do Instituto de Engenharia Electrónica e Informática de Aveiro (IEETA), assina o trabalho.

“É importante mencionar que o nosso sistema não é capaz de estimar a atenção da plateia, mas apenas o seu foco. A atenção é algo complicado de se estimar, visto que um participante pode olhar para o orador ou para os conteúdos projectados durante toda a aula, o que indicaria estar atento, mas a sua mente pode estar a divagar noutros pensamentos”, esclareceu Daniel Canedo.

No fim da aula o sistema produz gráficos para cada aluno que demonstram o seu foco ao longo do tempo. Através da análise destes gráficos, aponta Daniel Canedo, “o professor pode perceber em que parte da aula não conseguiu manter os alunos interessados e ajustar os seus métodos de ensino para o futuro”.

Em relação aos alunos, “esses mesmos gráficos podem ajudá-los a perceber em que partes da aula estiveram mais distraídos e que matérias leccionadas terão de estudar mais”.

Este sistema quando aplicado num contexto académico, assegura Daniel Canedo,
“não tem como objectivo controlar os alunos”, mas antes “ser uma ferramenta para melhorar a performance de estudantes e professores”.

E é a pensar nestes últimos actores que os investigadores do IEETA vão no futuro adicionar mais uma câmara ao sistema, precisamente para os captar.

Via Universidade de Aveiro.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×