HardwareNotícias

Intel a desenvolver GPU para competir com a Nvidia e AMD

Intel GPUUma imagem virtual do processador da Intel com um GPU integrado da AMD apresentado este ano na CES.

No inicio deste ano, a Intel apresentou uma gama de chips baseado na arquitectura Kaby lake que combina uma CPU da empresa e um processador gráfico da AMD, ligados através de uma tecnologia proprietária. Embora sejam componentes desenhados para mini PC ou dispositivos 2-em-1, foram considerados o primeiro passo para a Intel começar a combater a dominância da Nvidia no mercado dos processadores gráficos.

A contratação pela Intel de Raja Koduri, o antigo chefe de desenvolvimento da divisão Radeon da AMD é prova que a Intel está mesmo interessada em investir no desenvolvimento de produtos dedicados para gráficos.

Agora chegou a público a informação que a Intel está a desenvolver mesmo dois GPU com os nomes de código Arctic Sound e Jupiter Sound, que estão programados para serem lançados em 2020.

Ambos serão unidades integradas com o processador, tal como o que foi anunciado na CES 2018, mas o Artic Sound terá também uma versão em placa gráfica separada. O primeiro a chegar ao mercado será o Arctic Sound. O GPU Jupiter Sound virá mais tarde apenas sob a forma de uma combinação de CPU com GPU. Para além disto não há quaisquer detalhes técnicos acerca dos novos GPU da Intel.

Ao longo do tempo a Intel tentou entrar no mercado das placas gráficas, mas sem o sucesso das rivais. A primeira gráfica Intel a chegar ao mercado foi a i740 em 1998 e a mais recente foi a Xeon Phi em 2012, que utilizava 60 processadores x86 para tarefas de processamento gráfico.

Em 2017, o mercado das placas gráficas esteve (mais uma vez) dividido entre a Nvidia com 70% e a AMD com 29,8% de quota.

PCGuia

4 comentários

  • Que eu saiba o xeon phi nunca foi uma placa grafica, mas um conjunto de processadores x86 de baixa voltagem e Ghz com objectivo de computação paralela em massa… Nada de gpu ou mesmo grafico, tanto que estas têm o seu próprio sistema operativo mesmo sendo placas Pcie…e apenas funcionam depois de programadas para efeito.
    Vindo de uma fonte técnica de informação é triste ver que nem a PC Guia escapa a doença da moda “falar sem saber”…

    • Em sentido estrito do termo as Xeon Phi não são placas gráficas, mas a génese desta plataforma foi a arquitectura Larrabee desenvolvida para tentar adaptar a aquitectura X86 a aplicações gráficas e, em última análise, construir uma GPU. O Xeon Phi é muito mais versátil que uma GPU tradicional porque permite executar facilmente tarefas de processamento mais gerais.

  • Pois… Mas basicamente não é uma GPU… Arquitectura x86 não tem quase nada em comum com as GPU… Existem muitos vídeos e sites que podem ajudar a perceber, as Xeon Phi são pequenos processadores/cores Xeon que tem o seu próprio OS e têm que ser programados, não basta encaixar na slot e instalar drivers, aliás nem sequer tem qualquer saida de vídeo… Numa entidade de especialidade de informação técnica a informação está simplesmente errada…

  • Só para informar… Tenho uma 7290, tenho uma Tesla P6, e uma Radeon S9150…e as unicas que podem correr API graficos são as últimas duas…

Os comentários estão encerrados.

Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×