Altice e Huawei dão andamento a projectos de IoT NarrowBand em Portugal

Será que vamos ter estacionamento inteligente por cá, em 2018?
Golabs IOT Altice Huawei
Golabs IOT Altice Huawei

A Huawei e a Altice apresentaram os primeiros projectos de uma parceria assinada há quase um ano no Mobile World Congress 2017 em Barcelona.

Num evento dedicado a parceiros e a jornalistas, a operadora francesa que comprou a PT em 2015, mostrou algumas aplicações de Internet of Things que que em breve vão poder fazer parte do dia a dia dos consumidores.

Todos estes projectos têm como “quartel general” o laboratório Golabs.IoT. que fica na sede da Altice em Lisboa. Segundo a Altice, é neste espaço que
«fabricantes, indústria, academia e startups, muitas associadas ao programa ENTER e ao IoT Challenge da Altice Portugal, serão integrados numa agenda de acolhimento laboratorial de soluções».

A Altice e a Huawei vão ainda dar apoio à evolução destes projectos até à chegada ao mercado, sendo que fica prometido o lançamento de serviços «inovadores e competitivos» e a «geração de emprego qualificado e a promoção de novos segmentos de negócio».

Os equipamentos apresentados nesta sessão, que decorreu no espaço do próprio Golabs.IoT, funcionam com base na tecnologia de rádio e plataforma IoT da Huawei, segundo o conceito de ‘NarrowBand’, ou seja, em que as comunicações são feitas em banda estreita, com pouco tráfego de dados.

Este conceito de ‘NarrowBand’ (NB) funciona em oposição com o de ‘WideBand’, banda larga, que é o espectro onde são feitas as comunicações móveis como as chamadas, as mensagens em claro, o tráfego de Internet 3G e 4G que temos nos smartphones e tablets.

Um dos projectos mais interessantes que tivemos oportunidade de ver durante esta apresentação da Altice e da Huawei foi o de um sistema inteligente de estacionamento para cidades.

Com recurso a um sensor que se tem de colocar no sítio exacto do lugar (faz-se um furo no pavimento, posteriormente tapado) esta solução integra-se com uma app que indica aos condutores o caminho via GPS para a vaga mais próxima.

Apesar de assumirem que o projecto (de origem italiana) tem tudo para ser efectivado em 2018, os responsáveis da Altice com quem falámos não tinham ideia alguma de como é que este sistema de smart parking podia ser aplicado, na prática.

«Ainda está tudo muito no início, não há contactos, nem parceiras com municípios ou integradores», confessou-nos um dos porta-vozes deste projecto de NB-IoT que tinha uma bancada de demo na apresentação da Altice.

O vídeo desta solução pode ser visto aqui em baixo; mesmo com estas incertezas todas sobre a aplicação prática da tecnologia italiana da Intercomp, é fácil prever como tudo se poderá passar no futuro.

Será uma empresa como a EMEL a ficar com a exploração do sistema, começando por ter lugar um projecto-piloto numa zona de uma cidade (ou numa pequena vila). Os clientes pagam, depois, o estacionamento com recurso a uma app, tal como já acontece com a ePark, por exemplo.

De acordo com Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal, «o investimento da Altice Portugal em IoT e a criação do Golabs.IoT encontram no maior operador de comunicações em Portugal as condições de infraestrutura e tecnológicas mais adequadas».

A Altice acredita ainda que a quantidade de dispositivos ligados em todo o mundo «cresça a um ritmo anual de 32% até 2021» ano em, segundo a empresa, «subirá para 25 mil milhões».

Categorias
Reportagem PC Guia

Jornalista de tecnologias desde 2005, tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil. Gosta de carros rápidos e de hotéis caros. Não tem um helicóptero porque decidiu gastar o prémio do último Euromilhões no desenvolvimento de um smartphone de marca própria.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link