CubeSats em busca de segredos na escuridão lunar

ESA vai mandar cubos para a Lua.
CubeSats ESA

Empresas europeias, universidades e centros de investigação uniram-se para projectar missões lunares para se adequarem ao padrão CubeSat de baixo custo – «construído a partir de cubos de 10 cm».

Os dois vencedores da competição Lunar CubeSat têm agora a oportunidade de trabalhar com especialistas da Agência Espacial Europeia (ESA) no desenvolvimento da missão durante Fevereiro e Março.

O Lunar Meteoroid Impact Orbiter (Lumio) é um CubeSat de 12 unidades, concebido por um consórcio que inclui o Politécnico de Milão; TU Delft, EPFL, S[&]T Noruega, Leonardo-Finnmeccanica e a Universidade do Arizona.

Ao orbitar um ponto especial no Espaço, a câmara óptica do Lumio detectará impactos no lado distante da Lua. Estes relâmpagos do lado mais próximo são mapeados por telescópios na Terra durante a noite.

O Lunar Volatile and Mineralogy Mapping Orbiter (VMMO), desenvolvido pela MPB Communications Inc, Centro Espacial Surrey, Universidade de Winnipeg e Lens R&D, também adopta um design CubeSat de 12 unidades. O seu laser miniaturizado examinará a cratera Shackleton, adjacente ao Pólo Sul, para medir a abundância de água-gelo.

Ao explorar um caminho de 10 metros de largura, o VMMO levará cerca de 260 dias a construir um mapa de alta resolução da cratera de 20 km de diâmetro. O seu laser também irradia dados de banda larga de volta à Terra, através de uma experiência de comunicação óptica.

O VMMO também cartografará recursos lunares, como minerais, além de monitorizar a distribuição de gelo em áreas escuras.

Via Agência Espacial Europeia (ESA).

Categorias
CiênciaHardwareNotícias

Terra. Europa. Portugal. Lisboa. Elite: Dangerous. Blade Runner. Star Trek. Star Wars. Kraftwerk. Project Pitchfork. Joe Hisaishi. Studio Ghibli.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link