Start-up

A febre do futebol não é só brincadeira

Equipa RealFevr

É nacional, anda nos smartphones dos treinadores de bancada e tem potencial para fazer “estragos” nos grupos de amigos mais competitivos. Conheça a RealFevr, uma plataforma para os fãs de Fantasy Leagues.

A história da RealFevr começa num ficheiro de Excel, em meados de 2010, partilhado por um grupo de amigos, tudo para tentar aproximar um possível algoritmo de um resultado mais concreto. Em Novembro de 2013, os cinco amigos decidiram juntar dois dos seus interesses: a tecnologia e o futebol. As folhas de cálculo iam mais além e assim surgia o protótipo da RealFevr que, hoje em dia, é uma plataforma online de Fantasy Leagues, com aplicações para Android e iOS.

BI Realfevr_

Não precisa de saber tudo… há estatísticas a ajudar

Com um registo gratuito, que permite também consultar estatísticas em tempo real, os fãs de desporto podem criar as suas equipas de sonho, que são depois influenciadas pelos resultados reais das diferentes competições. Tiago Dias, um dos fundadores da empresa, explica que é possível ter acesso «com um só registo, a várias competições nacionais e internacionais», como a Liga Portuguesa, Espanhola, Liga Europa ou a Champions League. Ainda que ajude, não é preciso ser aquele tipo de fã futebolístico que sabe quem marcou o golo decisivo da final Mundial de 1970 para usar a RealFevr: «A app foi pensada para se adequar a todo o tipo de jogadores, dos mais light aos mais aficionados, pois disponibiliza vários modelos de jogo adequados às suas necessidades e vontades».

A aposta na parte estatística é, aliás, uma das coisas que distingue esta plataforma das restantes aplicações do género. «O estudo exaustivo que fizemos da concorrência, nacional e internacional, indicava-nos que estávamos perante uma oportunidade única de negócio pois estávamos prestes a criar algo inédito neste mercado», defende Tiago Dias. Além disso, este co-fundador da RealFevr aponta também o contexto de mercado: «O mercado de Fantasy Leagues é pouco maduro e apenas explorado nos EUA, onde tem um potencial incrível, o que evidenciava, ainda mais, a oportunidade para a criação da RealFevr.» Só nos EUA, o mercado de Fantasy Leagues tem 53,6 milhões de utilizadores e gera anualmente cerca de 70 mil milhões de dólares.

Por cá, os números são bem mais modestos. Actualmente, a RealFevr já conta com mais de 35 mil utilizadores registados, com Tiago Dias a indicar uma taxa de fidelização na ordem dos 90%. Mas o objectivo, como seria de esperar, é fazer crescer os números: «Esperamos ultrapassar, em breve, os 250 mil utilizadores.»

A ajudinha de nuestros hermanos – e não só

Para conseguir crescer, a ideia da startup passa por ter patrocinadores reais, habitualmente associados a competições de futebol, como patrocinadores das ligas de fantasia. «Digamos que a nossa plataforma passará a ser mais um veículo de comunicação para essa marca, tendo por vantagem a proximidade com os utilizadores, o efeito de repetição e também uma maior flexibilidade nas campanhas», explica Tiago Dias. Como apoios nesta caminhada, a RealFevr já conseguiu a ajuda do jornal espanhol AS. «É um contrato de longa duração que nos irá permitir a chegada, em Janeiro, a uma geografia onde as pessoas são loucas por futebol, ou seja, a América do Sul.» Além disso, a RealFevr conseguiu também um investimento de um milhão de euros, por parte de um grupo de investidores privados.

O mundo além do futebol

Para o futuro, além de quererem mais utilizadores, os fundadores da RealFevr já têm a táctica definida: mais desportos e competições. «O plano de crescimento da empresa passa pela inclusão de outras competições e outros desportos, tais como o surf, o golf, o rugby, o basquete e a Fórmula 1, e também pela integração em boxes de televisão e em consolas de jogos», conclui.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×