Os 15 erros mais comuns na utilização de tecnologias

Muitas vezes, quando se usam tecnologias há muito tempo cometem-se erros que nem os iniciados conseguem cometer. Aqui ficam os 15 mais comuns. Não estão ordenados usando qualquer tipo...

Muitas vezes, quando se usam tecnologias há muito tempo cometem-se erros que nem os iniciados conseguem cometer.

Aqui ficam os 15 mais comuns. Não estão ordenados usando qualquer tipo de ranking, apenas na ordem de que nos fomos lembrando.

 

1. Não usar password no computador

Password

É tentador poder ligar a máquina e começar logo a trabalha sem ter que inserir qualquer tipo de palavra-chave ou PIN. Mas já pensou que qualquer um pode fazer o mesmo se deitar a mão à sua máquina?

E ainda por cima nem é necessário usar uma password longa e cheia de caracteres esquisitos, porque está provado que um password simples consegue deitar por terra as esperanças de glória da grande maioria dos “wannabe” hackers.

Se tiver uma máquina com Windows 8, o sistema operativo vai pedir sempre uma password cada vez que liga a máquina. Se usar o Windows 7 pode fazer com que o sistema peça a inserção de uma password acedendo ao ‘Painel de Controlo’, ‘Contas de Utilizador’ e depois escolhendo ‘Modificar’ a sua conta de utilizador.

Se (ainda) usar o Windows XP aceda ao ‘Painel de Controlo’, ‘Utilizadores’, ‘Criar uma Palavra-chave’.

Em qualquer dos casos insira a password, volte a inseri-la e clique em ‘OK’.

 

2. Usar uma conta única para todos os utilizadores na mesma máquina

Conta

Quer mesmo que todos os seus familiares consigam saber o que anda a ver na Internet ou ler os seus e-mails?

Não é que seja necessário haver segredos, mas muitas vezes os mais velhos acedem a conteúdos que não são lá muito apropriados para os mais novos. Para resolver isto pode criar contas separadas com limites de idade que limitam o tipo de conteúdos a que esses utilizadores podem aceder. Para o conseguir fazer tem de aceder ao painel de controlo do Windows criar uma nova conta e depois ligar os controlos parentais para essa conta específica. O processo é muito fácil: está tudo dividido por idades, bastando escolher os conteúdos inacessíveis a essa conta.

 

3. Usar o software de segurança que vêm com a máquina

Microsoft

Muitas vezes os computadores incluem software de segurança pré-instalado, que normalmente apenas está em modo de demonstração à espera que largue mais uns euros para ficar com a versão completa.

O que acontece muitas vezes é que os utilizadores deixam passar o período de avaliação e continuam a usar o software a pensar que continuam protegidos quando não estão.

Por isso esteja atento às mensagens do software de segurança lhe dá a indicar que o período de teste acabou e trate de arranjar um software novo.

Existem alguns antivírus e firewalls gratuitos que o protegem tão bem quanto soluções pagas. Só tem de estar em cima das actualizações.

4. Clicar às cegas em links que vêm em mensagens de e-mail

Link

Toda a gente sabe que não se deve clicar em links que nos chegam via mensagens de e-mail de pessoas que não conhecemos.

Mas poucos se lembram de que também é preciso ter cuidado com os links que chegam em mensagens de pessoas conhecidas ou mesmo amigos e familiares. Isto porque os respectivos computadores podem estar infectados com vírus e malware. Se tiver dúvidas seleccione o link e aceda a um serviço de verificação de links como o Web of Trust, que está em www.mywot.com, para ter a certeza de que não está a infectar a sua máquina.

 

5. Deitar fora pen drives que ainda funcionam

Pen Drive

Às vezes o Windows zanga-se e decide que uma determinada pen drive está com problemas, indicando que os ficheiros estão danificados. Se lhe aparecer uma mensagem deste tipo deixe que o Windows verifique os ficheiros, copie-os para outra localização, como por exemplo o disco rígido do computador, e depois formate a pen drive. Este procedimento também pode ser usado com cartões de memória com erros.

 

6. Ligar-se a redes Wi-Fi não seguras

Wifi

Às vezes é preferível esperar um pouco do que tentar ligar-se a redes sem fios desconhecidas que podem passar todo o tipo de ameaças ao seu computador. Este problema coloca-se principalmente em computadores pessoais e menos em tablets e smartphones, isto porque os sistemas operativos destes últimos oferecem mais resistência a este tipo de ameaças. Se precisar mesmo de se ligar aconselhamos a instalação de um software de VPN (Virtual Private Network) como o www.hotspotshield.com, que permite ligar-se em qualquer lado sem problemas de segurança.

 

7. Não deixar o Windows tentar resolver os problemas que podem aparecer

Safe Mode

Às vezes há a impressão que uma formatação e uma reinstalação do sistema são a solução para tudo. Embora em certos casos seja verdade, muitas vezes os problemas que parecem graves à primeira vista são suficientemente simples para poderem ser resolvidos usando apenas as ferramentas do Windows.

A primeira coisa a fazer é deixar o Windows diagnosticar o problema: no Windows 7 aceda a ‘Resolução de Problemas’ e dê uma vista de olhos aos problemas detectados pelo sistema. No Windows 8 aceda ao relatório de fiabilidade do sistema através de ‘Definições’, ‘Painel de Controlo’, ‘Sistema e Segurança’, ‘Centro de Acção’. Por fim clique em ‘Monitor de Fiabilidade’. Depois de o sistema determinar os problemas que o computador tiver clique em ‘Relatório de Problemas’ e experimente as soluções propostas pelo Windows. Se não funcionarem, aí sim pode fazer uma cópia dos ficheiros, depois formatar o disco e instalar o sistema.

 

8. Gravar por cima de um ficheiro sem querer

Copia

Às vezes, quando se grava um ficheiro pela primeira vez podemos dar-lhe um nome de um ficheiro já existente e, apesar dos avisos, se clicarmos em ‘OK’ o original vai ser substituído pelo novo. Mas não desespere! Se acha que gravou sem querer um ficheiro por cima de outro e estiver a usar o Microsoft Office 2010 ou posterior, o sistema AutoRecover pode dar-lhe uma ajuda preciosa, isto é se se lembrou de o ligar. Aceda ao menu ‘Ficheiro’, ‘Informações’, ‘Versões’ e depois escolha a versão que quiser. Se não tem o AutoRecover ligado pode fazê-lo acedendo ao menu ‘Ficheiro’, ‘Opções do Word’, ‘Gravar’ e ligar a opção ‘Gravar informação Auto Recover a cada 10 minutos’.

Se o AutoRecover não estava ligado ou se usou outro software sem ser o Office pode tentar usar o Recuva, que encontra em recuva.com, para tentar recuperar os ficheiros perdidos.

 

9. O texto desaparece enquanto se escreve

Insert

Se começar a escrever algo e aquilo que está escrever substitui algo que já estava escrito é porque de certeza que premiu a tecla Insert do teclado que se encontra junto das teclas Del ou Enter. Para voltar ao normal basta voltar a premir a tecla Insert.

 

10. Apagar e-mails acidentalmente

Se usar sistemas de e-mail como o Gmail ou o Outlook.com e apagar um e-mail acidentalmente, fique sabendo que estes sistemas mantêm as suas mensagens por certos períodos de tempo no “lixo” para que possam ser recuperadas facilmente. No caso do Gmail, as mensagens são mantidas 30 dias.

 

11. Usar acidentalmente tipos de ficheiros que ninguém consegue ler

Existem tantos tipos de ficheiro como programas que os criam, o que cria aqui um problema. Pode gravar, por exemplo uma imagem ou texto em formatos que mais ninguém consegue ler o que não é bom se precisar de transportar informação entre computadores que fisicamente, quer através da Internet. Por isso, quando gravar um ficheiro tenha o cuidado de o fazer em formatos o mais standard possível. Por exemplo, no caso das imagens use o formato JPEG, no caso do áudio MP3 ou WAV e no caso dos ficheiros de texto com formatação DOC ou RTF se forem sem formatação use o TXT.

 

12. Ter um portátil ou tablet sempre ligado à corrente

Em certos casos, ter o portátil sempre ligado à corrente pode dar cabo da bateria, principalmente em máquinas mais antigas. Se tiver hipótese retire a bateria quando estiver a usar o computador ligado à corrente.

Se a sua máquina for de nova geração e não lhe der a hipótese de remover a bateria tente esgotar a bateria antes de o usar ligado à corrente.

 

13. Usar uma drive USB sem a verificar primeiro

Se precisar de usar uma pen drive USB ou um cartão de memória que não sabe o que tem dentro verifique-a sempre com o seu software antivírus. Não se esqueça de que estes são excelentes meios de transmissão de “infecções” que lhe podem causar problemas.

14. Não mudar as passwords por defeito

Esta é clássica! Quando acabar de instalar um router ou quando acabar de se registar num serviço que lhe forneça uma password por defeito mude-a logo. Por exemplo, no caso de certos routers, as passwords são todas iguais em todas as unidades fabricadas, o que torna muito fácil a tarefa de entrar numa rede sem fios para aceder à Internet à borla ou mesmo roubar ficheiros.

 

15. Usar 3G quando podia estar a usar Wi-Fi

Quando está a tentar sincronizar o seu e-mail ou actualizar o perfil do Facebook através do smartphone ou tablet, certifique-se de que tem o Wi-Fi ligado para que não esteja a desperdiçar a sua largura de banda de Internet móvel. Se o fizer, este hardware dará sempre prioridade ao Wi-Fi, se estiver presente, em detrimento do 3G.

Categorias
DicasNotícias

Sou director da PCGuia há alguns anos e gosto de tecnologia em todas as suas formas. Estou neste mundo muito por culpa da minha curiosidade quase insaciável e por ser um fã de ficção científica.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link