Depois da Microsoft, é a vez da Google: despedimento de 12.000 funcionários

O anuncio do despedimento de 6% do total de funcionários da Google foi feito pelo seu CEO, Sundar Pichai, numa publicação no blog oficial da empresa.

Depois do anúncio de ontem do despedimento de mais de 10 mil funcionários na Microsoft, e dos anteriores anúncios de 18 mil funcionários na Amazon e 11 mil na Meta (empresa que detém o Facebook, Instagram e WhatsApp), hoje foi a vez de Sundar Pichai, CEO da Google de anunciar um despedimento de 12 mil funcionários a nível global, o que corresponde a 6% do total de funcionários da empresa. 

A notícia, que foi publicada no Blog oficial da Google pelo próprio CEO (ver aqui), indica as razões para este avultado número de funcionários despedidos, como sendo a única maneira da empresa de se “voltar a focar, de reestruturar os custos base e de direccionar todo o talento e capital disponível para as maiores prioridades da empresa”.

Foi igualmente referido que a Google irá investir fortemente na Inteligência Artificial, o que obrigará a terem que fazer “decisões difíceis”. Todos os funcionários dispensados terão um aviso prévio de 60 dias, e receberão compensações que estarão de acordo com as práticas locais de cada país onde estão sediados.

Recordamos que durante o último anúncio de resultados, que ocorreu em Outubro passado, a Google revelou uma receita de 69 mil milhões de dólares e um lucro de 13.9 mil milhões de dólares, o que representa um aumento em termos de receita, dos 65.1 mil milhões registados no ano anterior, mas com uma quebra nos lucros, dos 18.9 mil milhões de dólares obtidos no mesmo trimestre em 2021.