Lenovo e Nvidia têm o supercomputador «mais eficiente e potente de sempre» – são 65 mil milhões de FLOPS por watt

Apesar de ser o líder no ranking da eficiência, o Henri está no fundo da lista geral dos supercomputadores mais potentes do mundo, na 405.ª posição.

©Flatiron Institute
©Flatiron Institute

Nova Iorque é, a partir de agora, a casa do supercomputador «mais eficiente e potente de sempre», o Henri. Criado pela Lenovo e pela Nvidia, este high performance computer (HPC) está instalado no Flatiron Institute.

O novo líder do ranking Green500 tem como base um servidor Lenovo ThinkSystem SR670 V2, com um processador Intel Xeon Platinum 8362 2800Mhz (32C) e uma GPU Nvidia H100 80GB PCIe.

Segundo as duas marcas, o Henri uma eficiência energética de 65,091 mil milhões de FLOPS por Watt, valor que ultrapassa os 62,684 mil milhões do Frontier TDS, que também está nos EUA (DOE/SC/Oak Ridge National Laboratory).

O supercomputador da Nvidia/Lenovo vai ser usado para «resolver desafios de astrofísica computacional, biologia, matemática, neurociência e física quântica com a aplicação de técnicas de aprendizagem automática» e, com isto, «explorar novos tipos de ciência», diz Ian Fisk, co-director do núcleo de computação científica do Instituto Flatiron.

Apesar de ser o líder no ranking da eficiência, o Henri está no fundo da lista geral dos supercomputadores mais potentes do mundo, na 405.ª posição. O actual líder absoluto é o Frontier (HPE Cray EX235a, AMD Optimized 3rd Generation EPYC 64C 2GHz, AMD Instinct MI250X, Slingshot-11), uma espécie de irmão mais velho do HPC que está em segundo lugar no Green500.