Em dez anos, a Google já removeu seis mil milhões de links para sites de pirataria

A Google tem vindo a tentar limitar a inclusão de links para conteúdos prirateados nos resultados de pesquisa.

Google

O total de pedidos de remoção de links dos resultados de pesquisa recebidos pela Google passou recentemente a marca dos 6 mil milhões e a maioria desses pedidos são feitos pelos detentores de direitos de autor que não querem ver os seus conteúdos em sites ligados à partilha de conteúdos. Segundo a Google, os links só são removidos, depois de uma verificação de validade.

Segundo o Relatório de Transparência da empresa, a política da Google em relação aos direitos de autor está de acordo com o Digital Millennium Copyright Act (DMCA) e “é um mecanismo simples e eficaz para o controlo dos direitos de autor em todos os países do mundo”. O detentor dos direito, pode enviar um pedido de remoção de um link supostamente “pirata” à Google e a empresa remove-o dos resultados das buscas, se for realmente relacionado com conteúdos pirateados.

A Google já recebeu 6006830816 pedidos de remoção que foram feitos por 326888 pessoas individuais. Na grande maioria, os pedidos foram aceites. Do total de pedidos, 4043339 foram para domínios de topo. O total de pedidos de remoção feitos por entidades que gerem direitos de autor foi de 333253.

As dez entidades mais activas, pediram a remoção de 2,5 mil milhões de URL. o que corresponde a mais de 40 por cento do total de pedidos. Um aspecto interessante é que apenas 400 domínios são alvo de 41 por cento do total de remoções de links feitas pela Google. Por outras palavras, quase metade das remoções são links para sites conhecidos, como o The Pirate Bay e outros. A Google também recebe muitos pedidos que são, claramente, falsos positivos para pirataria, como os sites da Casa Branca, FBI, Disney ou Netflix.