BPI chega ao metaverso com balcão em realidade virtual

O banco afirma que é «o primeiro do mundo» a ter uma iniciativa desta natureza.

O BPI lançou hoje um balcão em realidade virtual, uma experiência imersiva que constitui a primeira etapa da entrada do banco no metaverso e faz parte da estratégia de inovação. A instituição financeira afirma que é «a primeira do mundo» a ter uma iniciativa desta natureza.

O BPI VR é uma agência com dois pisos onde é possível encontrar áreas destinadas a particulares, a empresas, à sustentabilidade, aos produtos prestígio e à AGE, a oferta destinada a públicos mais jovens.

O novo serviço está acessível através dos Oculus Quest 2 da Meta e foi criado em parceria com a Unity. Afonso Eça, director executivo do Centro de Excelência para a Inovação e Novos Negócio do BPI, explicou que a escolha recaiu sobre esta plataforma «por ser escalável» e porque «pode ser usada também para realidade aumentada».

O balcão de realidade virtual é apenas o primeiro passo em direcção ao metaverso. Francisco Barbeira, administrador executivo do BPI, salientou, durante a apresentação, que este pretende para já «ser um espaço de apresentação diferente do banco», mas que a ideia é «evoluir para um espaço de interacção com os clientes» e depois chegar mesmo a «ser um espaço de contratação».

O BPI VR vai estar disponível a partir de amanhã na app store dos headsets da Meta e também em balcões do banco em todo o País, onde clientes e potenciais clientes podem realizar a experiência imersiva. A novidade vai estar acessível em mais de cem agências, mas a chegada do balcão virtual será feita «gradualmente», referiu Francisco Barbeira.