Samsung Alemanha recomenda utilizador a destruir SSD com um martelo

Para garantir a inacessibilidade dos dados do utilizador durante um processo de garantia, a Samsung instruiu o utilizador a destruir o SSD com um martelo ou um berbequim.

SSD Samsung

Um utilizador na Alemanha contactou o suporte da Samsung para questionar quais os procedimentos correctos para garantir que os dados armazenados num SSD Samsung 980 Pro de 2 TB seriam correctamente eliminados, evitando o acesso aos mesmos, antes de o enviar para garantia.

Poderá parecer absurdo, mas este é o procedimento correcto, sempre que um SSD, ou qualquer outro dispositivo de armazenamento de dados precise de ir para garantia, é recomendável ao utilizador eliminar os dados para garantir que os mesmos não são acedidos por ninguém.

Origem: Igor’s Lab

O problema foi que as informações armazenadas no mesmo são, segundo o proprietário do SSD, privadas, e o mesmo não tinha condições para garantir a correcta eliminação das mesmas, devido aos problemas que o SSD estava a demonstrar, e que foram posteriormente confirmados pelo relatório criado pelo software Samsung Magician.

Como tal, o técnico da assistência da Samsung informou o utilizador de que este teria que usar um martelo ou um berbequim para destruir os chips de memória flash NAND, que é onde os dados são armazenados. Posteriormente o utilizador deveria enviar provas da destruição do SSD, para que os responsáveis de RMA da Samsung pudessem identificar o SSD danificado.

Habitualmente, qualquer fabricante exige que o proprietário do componente com falhas envie o mesmo nas melhores condições, para se determinar a origem da falha e, se possível, reparar, ou substituir por uma idêntica. Porém, neste caso em concreto, a Samsung determinou que esta era a melhor solução para garantir a inacessibilidade dos dados privados do utilizador.