Regulador nuclear dos Estados Unidos vai certificar o primeiro reactor de pequena escala

A NuScale vai receber a primeira aprovação para o design de um reactor nuclear de pequena escala, quase seis anos depois de iniciar o processo.
NuScale Power Module 1 - JPG
Imagem - NuScale

A Nuclear Regulatory Commission (NRC) anunciou na semana passada, que vai certificar um novo design para um reactor nuclear, o sétimo a ser aprovado para utilização nos Estados Unidos. Apesar de ser o sétimo, é uma máquina singular. O design é de uma empresa chamada NuScale e trata-se de um pequeno reactor nuclear modular, que pode ser construído numa fábrica e depois transportado para o local onde vai ser operado.

Tem sido dito que os reactores modulares de pequena escala, conseguem evitar muitos dos problemas que tornam a construção das centrais nucleares tradicionais muito cara. Estes novos reactores, são suficientemente pequenos para serem construídos numa fábrica e depois enviados para o local onde vão funcionar. Isto elimina muitas das dificuldades de construção de um reactor à medida, no local onde vai funcionar. Para além de poderem ser transportados, estão desenhados de maneira a permitirem sistemas de segurança passivos, o que elimina a necessidade de intervenção humana para desligar o reactor, se acontecer um qualquer problema. 

Muitos dos designs usados nos reactores nucleares modulares de pequena escala, envolvem a utilização de tecnologias diferentes das usadas nos reactores tradicionais, como sais de urânio derretidos como combustível. O reactor da NuScale, usa um design mais tradicional, com varetas de combustível e o transporte da energia térmica gerada pela reacção através de água. As funcionalidades de segurança, incluem a montagem do reactor num lago artificial, as varetas de controlo são inseridas no reactor por gravidade, no caso de um corte de energia, e um sistema de refrigeração por convecção através de uma fonte de água externa.

A NuScale deu início ao processo de certificação em 2016. Durante o processo, tem de ser avaliada a resposta a acidentes ou desastres naturais. No pedido têm de ser mencionadas as inspecções, testes, análises e os critérios de aceitação dos aspectos mais importantes do design. A NRC também obriga a estudos sobre a protecção do reactor e da zona de armazenamento do combustível usado contra impactos de aviões comerciais. Só depois de todos os aspectos serem certificados é que a NRC dá a certificação final para que o reactor possa começar a ser usado.

O primeiro local a receber um destes reactores será o Idaho National Lab, onde vai decorrer o Carbon Free Power Project. Espera-se que o sistema esteja operacional em 2030.