Drones militares

Durante o conflito na Ucrânia temos assistido à utilização de meios militares que, muitas ve-zes, associamos a equipamentos civis. Saiba o que são e quais os drones militares que têm sido usados nesta na guerra.

Bobbi Zapka

‘Drone’ é designação dada a uma aeronave voadora não tripulada, e cuja popularidade se pode atribuir a marcas como a DJI. Os drones civis utilizam, habitualmente, uma solução de quatro hélices que garante uma elevada estabilidade para a captação de imagens e vídeo, mesmo em dias com ventos mais fortes. Existem desde modelos compactos como o DJI Mini 2, com menos de 250 gramas, capaz de atingir uma velocidade máxima de 57 km/h e chegar aos trinta minutos de autonomia; até ao gigantesco DJI Matrice 300 RTK, que consegue transportar uma carga máxima de nove quilos, atingir até 83 km/h e ficar 55 minutos no ar.

Drones militares
No caso dos drones militares, estes utilizam formatos similares aos de aviões tripulados, já que o objectivo não é permanecerem estáticos no ar, onde se tornariam um alvo fácil, mas sim estarem em constante movimento, de preferência a grandes velocidades e com longos alcances. Um dos mais conhecidos é o Northrop Grumman RQ-4 Global Hawk, um drone com 14,5 metros de comprimento e 39,9 de envergadura, que consegue atingir os 629 km/h de velocidade máxima. Este modelo tem um alcance máximo de 22 780 km e uma capacidade de carga de 1360 kg, tendo sido já usado em cenários de guerra como o Afeganistão, o Iraque e a Síria.

Diferentes utilizações
Nem todos os drones militares desempenham missões de guerra: o próprio RQ-4 Global Hawk já foi utilizado para acções de paz, como a monitorização da evolução do reactor n.º4 da Central Nuclear de Fukushima em 2011, ou para avaliar o impacto do tufão Haiyan nas Filipinas, em 2013, com assistência das equipas de salvamento em terra.

Bayraktar TB2

Drones na Ucrânia
Relativamente ao conflito na Ucrânia, o RQ-4 Global Hawk tem sido usado tanto em espaço aéreo ucraniano, como em países vizinhos aliados da NATO, em missões de vigilância dos desenvolvimentos no terreno. Contudo, existem outros drones militares em uso com armamento, como é o caso dos novos ZALA KUB-BLA, fabricados pela ZALA Aero, uma subsidiária da empresa de armamento russa Kalashnikov.

Este drone “kamikaze” de 1,2 metros de envergadura, atinge os 130 km/h durante, tem uma autonomia de trinta minutos e pode transportar até três quilos de explosivos. Este modelo em particular diferencia-se por utilizar um inovador sistema AIVI (Identificação Visual por Inteligência Artificial), que verifica em tempo real o formato e o tipo de objectos que monitoriza, para identificar os alvos.

Em contrapartida, as forças ucranianas têm utilizado os Bayraktar TB2, de origem turca, que graças aos seus doze metros de envergadura conseguem transportar até 150 kg de armamento, como os mísseis L-UMTAS (antitanque de longo alcance), fundamentais para combater as colunas militares que têm avançado em direcção às principais cidades ucranianas.