Huawei P50 Pocket

A análise ao mais recente smartphone dobrável da Huawei.

O P50 Pocket é o mais recente smartphone dobrável da Huawei e adopta os formatos do Samsung Z Flip e do Motorola Razr de 2019. Neste formato, o ecrã dobra-se ao meio, na vertical em vez de na horizontal, como no caso do Samsung Z Fold e dos Huawei Mate X e Xs. Esta forma de dobrar o ecrã, faz com que o P50 Pocket seja muito mais fácil de transportar no bolso além de que quando está desdobrado fica com a forma de um smartphone tradicional e não a de um “micro tablet”, como acontece com os dobráveis tradicionais. Aberto, o ecrã principal (com uma resolução de 1188 x 2790 e uma taxa de actualização máxima de 120 Hz) fica com 6,9 polegadas. Existe também um pequeno ecrã externo com uma polegada, para ver notificações e servir de “viewfinder” para tirar fotografias, com uma resolução de 340 x 340.

O processador deste smartphone é um Snapdragon 888 4G, acompanhado por 12 GB de memória RAM e um processador gráfico Adreno 660. O armazenamento é de 512 GB e pode ser ampliado com cartões de memória NM da Huawei.

A qualidade da construção é excelente, como é hábito nesta marca chinesa. Tal como acontece com outros smartphones dobráveis, o ecrã principal fica com um vinco na zona da dobradiça, vinco este que é menos perceptível quando o ecrã está escuro. Uma coisa de que não gostei foi do padrão que o departamento de design da Huawei decidiu que ficava bem neste smartphone. Mas, como se costuma dizer, gostos não se discutem: até gosto de coisas diferentes, mas, para mim, este não fica lá muito bem.

Tal como acontece com todos os smartphones Huawei, o sistema operativo é uma versão do Android Open Source, o EMUI 12, que continua a não ter acesso aos serviços da Google. Embora a marca tenha vindo a fazer um grande esforço de desenvolvimento de API, que tentam mitigar este problema, muitas apps populares ainda não estão na loja de aplicações do EMUI e têm de ser instaladas em sideload (de forma directa a partir da Internet e não da loja), o que pode abrir o smartphone a potenciais problemas de segurança.

Os resultados dos testes de desempenho do P50 Pocket foram curiosos. Apesar de partilhar o processador e a GPU com o Samsung Z Flip3 (menos o modem, que no modelo coreano é 5G e, no chinês, 4G), os resultados foram bastante dispares. As únicas razões que estou a ver para isto aconteça é o facto de o sistema operativo ser diferente (no caso do Samsung pode estar um pouco mais optimizado) ou na velocidade da memória RAM.


Distribuidor: Huawei

Preço: €1699,99


Benchmarks

  • AnTuTu: 636 603
  • 3D Mark Wild Life: 5363
  • Geekbench 5 CPU Single: 903
  • Geekbench 5 CPU Multi: 3090
  • Geekbench Compute: 4757
  • PCMark Work 3.0: 10 057
  • PCMark Work Battery: 723 minutos

Ficha Técnica

Processador: Qualcomm Snapdragon 888 4G (2,84 GHz + 3 x 2,42 GHz + 4 x 1,8 GHz)
Memória: 12 GB de RAM
Armazenamento: 512 GB Flash
Câmaras: 40 MP f/1.8 + 13 MP f/2.2 + 32 MP f/1.8 (traseira); 10,7 MP f/2.2 (frontal)
Ecrãs: 6,9” OLED 120 Hz (2790 x 1188) + 1,04” (340 x 340)
Bateria: 4000 mAh
Dimensões: 170 x 75,5 x 7,2 mm (aberto) | 87,3 x 75,5 x 15,2 mm (dobrado)
Peso: 190 gr