Microsoft Surface Pro 8

Com a chegada do novo Surface Pro 8, a Microsoft acaba de efectuar aquele que é o maior salto geracional de sempre do mais popular tablet Windows do mercado, tanto internamente como externamente.

Demorou, mas foi. Após anos de críticas por parte da imprensa e dos utilizadores, a Microsoft renovou finalmente o Surface Pro. Mantem-se a elevadíssima qualidade de construção, com o chassis (desta vez totalmente arredondado) em alumínio, mas passamos a ter um ecrã táctil ligeiramente maior (treze polegadas), molduras mais estreitas e um peso ligeiramente mais elevado. O mecanismo do apoio permanece igual, ou seja, sólido e robusto; encontrámos, ainda, diferenças significativas nas ligações – o Surface Pro 8 abandonou o leitor de cartões e a porta USB a favor de duas portas USB-C 4.0, compatíveis com a normal Thunderbolt 4 (até 40 Gbps), bem como as tradicionais entradas jack 3,5 mm para auscultadores, e a porta Surface Connect para ligar o carregado, algo que também pode ser
feito com USB-C.

É para te ver melhor…
O ligeiro aumento das dimensões do novo Surface Pro 8 deve-se à utilização de um novo ecrã táctil IPS (PixelSense) de maior dimensão, agora com treze polegadas, que, no entanto, manteve o formato 3:2. Este ecrã destaca-se pela resolução (2880 x 1920 pixéis) e pela taxa de actualização de 120 Hz, certificação Dolby Vision e reprodução de 103% do espectro de cores sRGB, o que lhe garante uma imagem de excelente qualidade. Curiosamente, o Windows 11 vem configurado de fábrica a 60 Hz, pelo que deverá aceder às definições avançadas do ecrã para ajustar para os 120 Hz, isto a não ser que precise de poupar bateria. Relativamente à reprodução de som, é surpreende para aquilo que esperávamos encontrar num equipamento tão estreito. O que continua a ser opcional é o teclado Signature, que tem de ser adquirido separadamente por 189 ou 299 euros, em conjunto com a caneta digital Slim Pen 2, que encontra no topo do teclado um local próprio para ser armazenada e carregar a bateria.

Desempenho melhorado
Se, no passado, a Intel foi algo contida nas configurações, com o Surface Pro 8 usou processadores significativamente mais interessantes, estando disponível com um Intel Core i5-1135G7 de quatro núcleos a 2,4 GHz e o Core i7-1185G7 de quatro núcleos e 3 GHz utilizado na configuração que recebemos para teste. Este Surface Pro 8 tem ainda a particularidade de ter um sistema de arrefecimento mais eficiente, o que permitiu à Microsoft elevar o TDP máximo do processador de 15 para 23 W, garantindo assim uma melhoria de desempenho nos testes. Só a nível gráfico é que o desempenho continua a ser limitado, devido à utilização de uma controladora gráfica integrada Intel Iris Xe Graphics. A restante configuração incluía 16 GB de memória RAM LPDDR4x e 256 GB de armazenamento via SSD NVMe. A bateria de 51,5 Wh garantiu uma autonomia superior a doze horas, com a vantagem de poder ser rapidamente carregada (a 65W).


Distribuidor: Microsoft

Preço: €1719


Benchmarks

  • PCMark 10 Geral: 5008
  • PCMark 10 Productivity: 6796
  • PCMark 10 Battery Modern Office: 740 minutos
  • 3D Mark Wildlife: 13 638

Ficha Técnica

Processador: Intel Core i7-1185G7 a 3,0 GHz
Memória: 16GB LPDDR4x
Armazenamento: 256GB SSD PCIe NVMe
Placa Gráfica: Intel Iris Plus Graphics
Ecrã: 13” táctil IPS 120 Hz (2880 x 1920)
Ligações: 2x USB-c 4.0 (Thunderbolt 4), jack 3,5 mm
Dimensões: 287 x 208 x 9,3 mm
Peso: 891 g