Sony e Nintendo deixam de vender para a Rússia

A Sony e a Nintendo anunciaram que vão suspender as vendas de hardware e software na Federação Russa devido à invasão da Ucrânia.

Playstation5

A Sony a e a Nintendo suspenderam as vendas de software e hardware na Rússia. À medida que a invasão da Ucrânia se arrasta no tempo, várias empresas decidiram deixar de operar na Rússia.

No mercado dos videojogos a Sony PlayStation anunciou no Twitter ontem que vai suspender todas as vendas de hardware e software na Rússia. A empresa também fez saber que a loja online de videojogos PlayStation Store também ficou inacessível no país. Na mesma comunicação também foi anunciado que a Sony vai doar 2 milhões de dólares ao Alto Comissariado para os Refugiados das Nações Unidas e à organização não-governamental Save the Children, para ajudar as vítimas desta guerra. A decisão da Sony vai de certeza pesar nas contas da empresa, porque a PlayStation é a consola mais vendida na Rússia.

 

A Nintendo também anunciou ontem que ia deixar de vender os seus produtos na Rússia, citando a volatilidade das operações logísticas de distribuição de bens físicos. A empresa japonesa também disse que vai adiar o lançamento do jogo de estratégia Advance Wars 1+2: Re-Boot Camp, devido aos recentes acontecimentos na Europa.

Mas não são só as empresas de hardware que estão suspender as operações na Rússia, as editoras de jogos CD Projekt Red, Electronic Arts e Behavior Interactive também anunciaram que iam suspender as suas vendas.